Get Adobe Flash player

Esporte

 / Foto: AFP

(Foto: AFP)

Um dia depois de apresentar oficialmente Dunga como novo técnico da seleção brasileira, a CBF confirmou nesta tarde de quarta-feira (23) os integrantes da comissão que trabalhará com o comandante. O próprio Dunga e o novo coordenador geral de seleções da entidade, Gilmar Rinaldi, revelaram, por meio de um pronunciamento, que Taffarel será o novo preparador de goleiros do time nacional, enquanto Mauro Silva, outro tetracampeão mundial em 1994, foi contratado como “assistente-técnico pontual” nos dois próximos jogos do Brasil, contra Colômbia e Equador, respectivamente nos dias 5 e 9 de setembro, nos Estados Unidos.

O cargo de auxiliar-técnico permanente foi dado a Andrey Lopes, que no ano passado trabalhou com Dunga quando o treinador dirigiu o Internacional. Já Fábio Mahseredjian, do Grêmio, foi anunciado como novo preparador físico, em substituição a Paulo Paixão, que fazia parte da comissão que tinha Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira na última Copa.

Outro membro confirmado da nova comissão de Dunga é o médico Rodrigo Lasmar, do Atlético-MG, que acabou sendo mantido na seleção após ter trabalhado com Felipão nesta última passagem do comandante pela equipe nacional.

De volta à seleção, Taffarel já trabalhou para CBF ao lado de Dunga na Copa de 2010 como observador da seleção e vinha desempenhando a função de preparador de goleiros no Galatasaray, da Turquia, clube que também defendeu como jogador.

Ao total, foram anunciados nesta quarta 13 nomes do novo grupo de trabalho da seleção. Além dos membros diretos da comissão, também foram confirmados: Odir de Souza (fisioterapeuta), Guilherme Ribeiro (administrador), Vinicius Rodrigues (assessor de comunicação e imprensa), Fernando Lázaro Alves (analista de desempenho tático), Sergio Luís Oliveira (massagista), Moacyr Alcoforado (chefe de segurança) e os roupeiros Manuel Carvalho de Souza e Waldecir Leandro do Nascimento.

Ao falar sobre a função que será desempenhada por Mauro Silva nestes dois próximos amistosos da seleção, Gilmar explicou que este posto, o de assistente-técnico pontual, será ocupado em outras partidas por outros ex-jogadores a serem definidos. “Vamos chamar jogadores que já foram campeões do mundo para termos este DNA em nossa equipe. Queremos que este profissional seja sempre o nosso olho crítico, apontando aquilo em que podemos melhorar”, afirmou.

O coordenador também falou sobre a satisfação exibida por Mauro Silva por poder voltar a servir a seleção. “O Mauro Silva será um assistente-técnico pontual. Teremos alguns jogadores convidados para nos ajudar. E o Mauro Silva foi o primeiro convidado para esses nossos primeiros jogos. Ele ficou muito feliz com o convite e aceitou prontamente”, disse.

PROGRAMAÇÃO – Dunga irá anunciar em 25 de agosto os convocados para os amistosos diante de Equador e Colômbia. Em seguida, em 11 de outubro, o Brasil enfrentará a Argentina, em Pequim, na China, em mais uma edição do Superclássico das Américas. Já para novembro está novembro um amistoso diante da Turquia, em Istambul, no dia 12.

Diante dos colombianos, no Estádio Sun Life, em Miami, Dunga irá realizar o primeiro jogo de sua segunda passagem como técnico do time nacional. A primeira aconteceu entre 2006 e 2010. Ele assumiu o lugar de Carlos Alberto Parreira, que saiu após a Copa realizada na Alemanha, e ficou no cargo até o término da participação do Brasil no Mundial da África do Sul, na qual o time nacional caiu nas quartas de final diante da Holanda.

Neste período de quatro anos, Dunga foi campeão da Copa América de 2007 e da Copa das Confederações de 2009 e conseguiu terminar na liderança nas Eliminatórias da Copa de 2010. Porém, fracassou na tentativa de levar o Brasil ao inédito ouro olímpico nos Jogos de Pequim, em 2008, e na tentativa de buscar o hexacampeonato mundial em solo sul-africano.

Fonte: Do Estadão.

Mesmo tendo sido o quarto colocado do Pernambucano, o Santa Cruz ainda pode disputar a Copa do Nordeste de 2015. O presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela, irá se reunir na próxima quarta-feira para definir o que será feito com as vagas ainda em aberto para o torneio.

“Teremos uma reunião no Recife na quarta-feira, dia 30, e espero resolver isso. Vão participar da reunião os clubes que já vem disputando a Copa do Nordeste, aqueles que fazem parte da Liga. Quem vai decidir são os clubes”, afirmou Alexi Portela.

A situação é simples. O Nordestão ganhará mais quatro vagas para 2015. A princípio, estes espaços seriam ocupados pelos campeões e vices dos estaduais de Piauí e Maranhão. No entanto, depois de algum tempo, discutiu-se a ideia de abrir apenas duas vagas para piauienses e maranhenses.

Os outros dois espaços em vago seriam ocupados pelo time campeão em 2014 e pela equipe de maior ranking que não garantiu classificação para o torneio. Portanto, o Santa Cruz poderia entrar por estas duas frentes, já que o Sport é o atual detentor do Nordestão e Pernambuco seria contemplado com mais uma equipe.

SORTEIO
A pressa para resolver a situação das vagas é explicável. Até porque o sorteio da chave da Copa do Nordeste já está próximo. Ainda não se sabe o dia exato, mas o evento que vai definir os confrontos do torneio irá acontecer em setembro.

Fonte: Por Tiago Freitas, do Blog de Primeira.

Não houve surpresas. Nem no anúncio, nem nas declarações. O técnico Dunga foi apresentado oficialmente na manhã desta terça (22) como novo treinador da Seleção Brasileira. Ao lado dele, estavam o novo coordenador-geral de seleções, Gilmar Rinaldi; o treinador da equipe de bases do Brasil, Alexandre Gallo; o presidente da CBF, José Maria Marin e o presidente da Federação Paulista de Futebol e futuro mandatário da entidade máxima do futebol brasileiro, Marco Polo Del Nero.

Na entrevista, Dunga falou sobre “resgatar” futebol brasileiro, citou a necessidade de haver uma mescla entre experiência e juventude na seleção e lembrou os problemas que teve no relacionamento com a Imprensa na sua primeira passagem como treinador do Brasil, entre 2006-2010. Confira os principais pontos.

Retorno
“Felicidade imensa. Agradeço o convite e a confiança na minha retomada a frente da seleção. Vamos trabalhar em conjunto com as categorias de base com a ajuda do Gallo e do Gilmar.”.

Copa do mundo
“Não podemos colocar por terra o que houve na Copa do Mundo. Vimos como o talento é importante, mas quanto é importante também o planejamento. Nós falamos muito de talento, mas elogiamos a organização da Alemanha”.

Relacionamento com a imprensa
“Vocês me conhecem. Dificilmente as pessoas mudam quanto a ética e o trabalho. Mas sou ser humano e sei que tenho que melhorar com os jornalistas, aprimorar meu relacionamento com a imprensa. Foi minha culpa e trabalhei (para melhorar) isso”.

Humildade
“Temos que ter a humildade de reconhecer que outras seleções trabalharam arduamente para chegar onde chegaram. Já fomos os melhores do mundo, mas agora precisamos resgatar essa capacidade. Temos que trabalhar para ficar entre os melhores”.

Críticas
“Não sinto essa rejeição que falam por aí. Acredito no carinho que o torcedor brasileiro tem pela Seleção. Até o Mandela tinha (rejeição). Estamos prontos para receber críticas e sugestões em prol da Seleção Brasileira”.

Planejamento 2018
“A minha primeira passagem era para resgatar o valor da camisa brasileira e conseguir os resultados. Agora a tendência é preparar uma seleção para 2018. Temos a copa America no caminho com seleções que melhoraram muito, como Argentina, Uruguai, Colômbia e Equador. Mesclar jogadores novos com mais experiência. Vamos preparar uma equipe para as Olimpíadas. Temos que estar prontos. Temos o talento e a qualidade. O treinador da Olimpíada será Gallo”.

Futebol-arte
“O goleiro fazer uma defesa também é arte. Um zagueiro fazer uma interceptação, também. Não podemos achar que vamos encontrar um Pelé a cada hora, criar um ídolo a cada dia. O Brasil sempre terá jogadores de talento, mas precisamos aliar isso ao equilíbrio emocional. A escola é uma coisa, mas a vida é mais dura. Quando o adversário olha no teu olho e vê que tu não quer ganhar”.

Resgate
“A camisa brasileira é respeitada, tanto é que eles querem ganhar do Brasil de qualquer forma. Isso é notícia em todo o mundo. A gente não ganhar a Copa do Mundo antes de acontecer. Temos que ter um planejamento e trabalhar para isso”.

Fonte: Por William Tavares, da Folha de Pernambuco.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, evitou comparações entre a Copa do Mundo do Brasil e edições anteriores do evento, mas afirmou que as próximas terão muita dificuldade para superar o Mundial de 2014, pela qualidade do futebol apresentado. Questionado sobre a nota que daria à Copa no Brasil, depois de ter dado 9 à da África do Sul, Blatter brincou e atribuiu 9,25 ao evento, porque “não existe perfeição”. “Foi uma Copa muito especial, e o que fez esta Copa tão especial foi a qualidade do futebol e a intensidade dos jogos”, disse o presidente da Fifa.

Ele destacou o fato de ter havido poucas lesões de atletas e times jogando ofensivamente desde a primeira fase. “Não se pode comparar esta Copa a qualquer outra. Cada uma tem a sua própria história, mas posso dizer que esta foi excepcional.”

Como grandes momentos do Mundial, Blatter apontou o jogo de abertura (Brasil e Croácia, no Itaquerão, em São Paulo), no qual disse “ter sentido que algo mudaria no país”, e a goleada da Holanda sobre a Espanha (na Arena Fonte Nova, em Salvador) na estreia das duas seleções. “Quando vi o jogo em que o campeão do mundo defendia o título contra a Holanda, eu sabia que algo muito especial estava acontecendo nesta Copa do Mundo”, afirmou o presidente, que agradeceu ao povo brasileiro pelo modo como acolheu o evento.

Blatter considerou normal o fato de ter sido vaiado quando sua imagem aparecia nos telões dos estádios e disse que também foi aplaudido: “Você tem que viver com isso”, disse ele. O presidente da Fifa manifestou insatisfação quanto ao combate ao racismo em eventos esportivos desse porte e afirmou que se trata de um ponto que precisará ser melhorado na Copa de 2018, na Rússia. “Não estou totalmente feliz.”

Perguntado sobre as investigações da Polícia Civil do Rio de Janeiro a respeito da venda irregular de ingressos para jogos da Copa, Blatter disse que é preciso apresentar provas e evidências antes de falar em corrupção, mas que, “sobre algo estar errado nos ingressos”, a Fifa podia se posicionar.

Blatter passou, então, a palavra ao secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke,, segundo o qual todos os ingressos vendidos pela Fifa respeitaram os preços predefinidos. Para ele, os 3 milhões de ingressos que vão para as empresas que vendem os pacotes de hospitalidade é que precisam ser controlados. “Não se pode dizer que a Fifa não está lutando contra esse sistema ilegal. Pessoas foram presas na África do Sul ,assim como no Brasil. Sempre oferecemos todo o nosso apoio às autoridades”.

Fonte: Agência Brasil (ABr).

MARACANAZO
A seleção uruguaia, que chegou à Copa do Mundo, no Brasil, de salto alto, posando de favorita, afundou nas oitavas de final, ao tombar diante da surpreendente Colômbia, no Maracanã, no dia 28 de junho, por 2 a 0. Foi o fim do sonho de impor ao Brasil um novo vexame futebolístico. Em outras palavras, a derrota da celeste olímpica espantou, de vez, o fantasma da Copa de 50, que voltava a atormentar os torcedores brasileiros. Naquela que é considerada a maior tragédia brasileira em copas do mundo, os uruguaios chocaram o Brasil ao vencer a seleção verde-amarela, na final, em pleno Maracanã, pelo placar de 2 a 1, num triste episódio, chamado pelos uruguaios de “Maracanazo”.

Mas, por ironia do destino, o feitiço acabou virando contra o feiticeiro. Ou seja, décadas depois, a seleção uruguaia acabou se envolvendo em seu próprio Maracanazo. Desta vez, o arco da história se inverteu, e eles caíram vítimas da sua própria utopia. Esperavam humilhar o Brasil novamente, em outra final, mas acabaram atropelados por outra amarelinha, bem antes do planejado. Como diz o velho ditado popular: “Quem deseja mal ao seu vizinho, o seu vem pelo caminho”.

NIVELADO POR BAIXO?
A Copa do Mundo do Brasil tem revelado um aspecto bastante curioso. Seleções consideradas mais fortes têm penado diante daquelas tidas como de “menor expressão”. Algumas, inclusive, foram surpreendidas por elas. É o caso, por exemplo, de Espanha, Itália, Portugal e Rússia. A Espanha, aliás, foi o maior fiasco do torneio. Chegou ao Brasil como uma das grandes favoritas, defendendo o título de atual campeã do mundo, e acabou eliminada ainda na primeira fase. Foi um drama emocional para os seus torcedores e um prejuízo financeiro incalculável para os seus patrocinadores.

Por causa do extraordinário desempenho dessas equipes menos tradicionais, muita gente começou a se fazer a seguinte pergunta: “O futebol dos pequenos cresceu ou foi o dos grandes que encolheu?” Ora, parece ter havido as duas coisas. Enquanto muitas seleções de nome acreditavam que o status de celebridade seria suficiente para ganhar a copa, as menos badaladas passaram a sonhar alto, vislumbrando a possibilidade de mudar a história. E, aliando o seu sonho de vitória a fatores como garra e boa estratégia de jogo, elas começaram a encurralar seus adversários, independentemente do peso de suas camisas e da fama dos seus jogadores, impondo a eles certos “constrangimentos” e, até, em alguns casos, verdadeiros vexames.

RECEITA DE FORA
Algumas das seleções consideradas menos expressivas, que vieram à Copa do Mundo do Brasil, parecem ter encontrado o caminho das pedras na arte de jogar bola. Abriram mão de soluções caseiras, e arriscaram na contratação de treinadores estrangeiros. A iniciativa tem dado certo. O excelente desempenho de times como Chile e Colômbia, treinados por argentinos, e Costa Rica, cujo técnico é um colombiano, comprova a teoria. A explicação é simples: os treinadores de fora levaram para esses países uma forma inovadora de jogar futebol, com técnicas e táticas que transformaram elencos comuns em equipes competitivas e vencedoras. Em outras palavras, embora não disponham de tantos talentos futebolísticos, como os países mais tradicionais nesse esporte, tais seleções “menos afortunadas” estão perdendo, de vez, o “complexo de vira-lata” (expressão cunhada pelo saudoso Nelson Rodrigues). A partida entre Chile e Brasil, no dia 28 de junho de 2014, pelas oitavas de final, em que a seleção brasileira quase foi eliminada, mostrou que, pelo menos nas Américas, o futebol está bastante nivelado. Portanto, aquele papo de adversário freguês não é mais certeza de ganhar jogo. Ou seja, tradição só não basta, porque, como se costuma dizer no futebol, “O jogo é pra ser jogado…”.

INSTINTO DE CANIBAL
O atacante Luís Suárez, da seleção uruguaia, parece ter uma queda por carne humana. Sua atração é tão forte que já o levou a morder três adversários: um deles pelo campeonato holandês, o outro em jogo do campeonato inglês. E no caso mais recente, ocorrido na atual Copa do Mundo do Brasil, no dia 24 de junho, na Arena das Dunas, em Natal. A vítima da vez foi o zagueiro italiano Chiellini, no jogo em que a celeste olímpica venceu a Itália por 1 a 0, eliminando a Azzurra ainda na fase de grupos. Por esse motivo, a Fifa puniu o atacante do Liverpool por nove partidas da seleção uruguaia, além de suspendê-lo de todas as atividades relacionadas ao futebol por quatro meses.

Dias depois do episódio, em documento publicado na Internet, Suárez se mostrou arrependido. “Me arrependo profundamente. Peço perdão a Giorgio Chiellini e a toda a família do futebol. Me comprometo publicamente a nunca mais me envolver em um incidente como este”, reza o texto, entre outras alusões.

Para muitos, o castigo foi severo demais. O próprio Chiellini, que aceitou o pedido de desculpas, criticou o rigor na decisão da Fifa. “Está tudo esquecido. Espero que a Fifa reduza a sua suspensão”, publicou o zagueiro italiano nas redes sociais.

Para o jornal espanhol AS, no entanto, o pedido de desculpas de Suárez não é sincero, pois seguiu apenas uma recomendação do Barcelona, que tenta contratá-lo para a próxima temporada e, para isso, busca o abrandamento da sua punição. O periódico baseia sua teoria no fato de que, há poucos dias, em sua defesa em documento enviado à Fifa, o uruguaio negou que tenha mordido o jogador italiano.

Teorias à parte, o fato é que o histórico de violência de Luís Suárez, no futebol, começou muito cedo. Ainda aos 15 anos, quando ele jogava pelo Nacional do Uruguai. Na época, durante uma partida, ele foi expulso por quebrar o nariz do juiz com uma cabeçada.

Em 2010, quando era jogador do Ajax, da Holanda, ele mordeu o pescoço de Otman Bakkal, do PSV, durante um clássico do campeonato holandês. Pelo ato violento, o atacante pegou uma suspensão de dois jogos. A punição, no entanto, não serviu para frear o ímpeto do atleta que, em 2013, já como jogador do Liverpool, voltou a agir, mordendo o zagueiro Ivanovic, do Chelsea, em partida do campeonato inglês.

Além dos casos de agressão física, Suárez também é acusado de racismo. O jogador, Evra, por exemplo, o acusou de o haver chutado durante uma partida do campeonato inglês. Segundo o francês, ao ser questionado sobre sua atitude, Luisito teria proferido a seguinte expressão: “Eu não falo com negros”.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

Fãs prestaram solidariedade a ''Luizito''.

Fãs prestaram solidariedade a ”Luizito”. (Foto: AFP)

Horas depois de ter sido punido pela Fifa, Luis Suárez já está a caminho do Uruguai. Quem confirmou a viagem foi o presidente da Federação Uruguaia de Futebol, Wilmar Valdez, claramente abalado pela situação envolvendo o principal jogador da sua seleção. “Suárez já viajou”, disse o dirigente, na tarde desta quinta-feira (26). “Ele vai ficar um tempo em Montevidéu para descansar”, completou.

Suárez foi punido após ter dado uma mordida no zagueiro italiano Chiellini no clássico da última terça-feira, na Arena das Dunas, em Natal, quando o Uruguai venceu por 1 a 0 e garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa. Ele foi suspenso de nove jogos oficiais, banido de qualquer atividade relacionada ao futebol pelos próximos quatro meses, não podendo sequer entrar em estádios, o que interfere em seu trabalho no Liverpool, e ainda recebeu multa de 100 mil francos suíços (cerca de US$ 110 mil).
Por causa da punição, Suárez está impedido de entrar nos estádios da Copa e não pode ir nem mesmo na concentração do Uruguai. Ele teve, inclusive, a sua credencial confiscada pela Fifa, depois que a entidade anunciou a punição mais dura de sua história numa Copa do Mundo. Assim, o atacante resolveu ir embora do Brasil, já que não poderá estar perto dos companheiros para a partida de sábado, contra a Colômbia, no Maracanã.
O presidente da Federação Uruguaia de Futebol confirmou que vai recorrer da punição. Mas admitiu que não vê qualquer chance de reverter a decisão. “Foi injusto o que a Fifa fez”, declarou Wilmar Valdez.
Fonte: Agência Estado.

Jovens e adolescentes da rede estadual de ensino, agora, têm a oportunidade para praticar atividades esportivas, nas áreas de futebol de salão e campo. A iniciativa é do professor e técnico da Escolinha de Futebol Novos Rumos, Amaury Mariano.

Segundo o professor, é necessário que os meninos estejam matriculados na Rede Pública e tenham notas acima da média. “O objetivo da Escolinha é, também, preparar o caráter deles para a vida, formar cidadãos”, explicou Mariano, acrescentando que ações sociais serão realizadas com os alunos da escolinha.

“Vamos trabalhar também com os meninos de ruas, vamos trazê-los para a escola”, garantiu o professor. Os treinos são aos sábados, a partir das 13h, no Ginásio Jota Raposo, no centro da cidade. “Quero agradecer aos gestores da Escola Carlos Xavier Paes Barretto”, completou.

O município de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, tem o mais novo campeão Brasileiro de Karatê. O atleta Alex Pereira conseguiu este fato heróico, consagrando-se campeão na sua modalidade disputada, no mês de maio, em salvador, na Bahia. O atleta Alex trouxe para Estado de Pernambuco dois ouros e um bronze, sendo 1o lugar no Universitário Kumite e Kata e 3° lugar Kumite no CBK (Confederação Brasileira de Karatê); ele participou de três categorias e subiu ao pódio três vezes.

Campeão na primeira fase estará classificado para a fase final em Brasília, onde já está com viagem marcada, que será em outubro. Alex Pereira é patrocinado pela Faculdade de Igarassu (Facig) e Usina São José. Ele é o atual campeão Brasileiro Universitário e, na fase final, perto de se tornar bicampeão, em 2014, e na categoria CBK onde representa o Estado. O atleta é tricampeão e está próximo e atleta campeão, em 2014, mas nada disso seria possível sem o apoio dos patrocinadores como a Facig, Auto Escola de Igarassu, Rotary Clube de Igarassu, deposito de bebidas Nadir Gonçalves, Peru Auto Peças, Settrans, Instituto Histórico de Igarassu, Kelly Ótica e Ascenção Surf. “Obrigado a todos que acreditaram no meu trabalho como atleta e representante da nossa cidade e do nosso Estado”, comentou.

“Vamos investir em todos os esportes”

A declaração é do novo secretário de Esportes e Lazer de Abreu e Lima, Carlos Alberto Bezerra, 58 anos, e foi feita no dia 22 de maio, durante uma entrevista concedida à coluna Tiro Livre, da Folha Metropolitana. Na ocasião, Cacá, como é mais conhecido, que foi vereador de Abreu e Lima por dois mandatos, de 1983 a 1988, e de 1992 a 1996, e diretor de Esportes, entre 1985 e 1986, falou sobre diversos tópicos relacionados à sua pasta, e destacou os planos e desafios a serem enfrentados em sua gestão. Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

Tiro Livre – Secretário, o senhor acaba de assumir o cargo que até recentemente era ocupado por outra pessoa, que propunha outros projetos para a pasta. Sendo assim, a sua incumbência é de mudança ou de continuidade?

Cacá – Nossa missão é retomar tudo que a cidade já perdeu. Abreu e Lima, entre 2000 e 2013, perdeu muito no futebol. Perdeu, inclusive, o respeito. Quando a seleção local ia jogar lá fora, os adversários tremiam de medo, porque conheciam a força dos nossos atletas. Hoje, não se vê mais isso. Gestões anteriores ligadas ao futebol não valorizavam o esporte. Usaram a questão de forma política.

TL – E como o senhor pretende fazer isso?

Cacá – Em primeiro lugar, vamos organizar o Campeonato da Prefeitura. Para isso, precisamos reunir representantes de todos os times do município para avaliar o número de clubes e o formato da competição. Vamos fazer a reunião já no dia 3 de julho, logo após a Copa do Mundo.

TL – Por falar em Campeonato da Prefeitura, há alguma possibilidade de haver a retomada do tradicional Campeonato Abreulimense, para este ano ainda?

Cacá – Não vejo nenhuma possibilidade. Se nos precipitarmos, vai dar tudo errado. Já estudei várias possibilidades, mas não vejo a menor condição. Primeiro, temos que resolver a questão das equipes vinculadas à Liga Desportiva, reunindo os clubes, a fim de ajudar na regularização dos que ainda estão irregulares. Mas para 2015, a coisa vai melhorar. Vamos fazer um campeonato, em janeiro, visando revelar jogadores para disputar, pela seleção local, a Copa do Interior, que deverá ocorrer em agosto. No momento, não há clubes suficientes, pois pretendemos fazer uma competição com cerca de 30 clubes.

TL – Ainda retomando a questão do Campeonato Abreulimense, o que fazer para integrar os clubes da área urbana com os da zona rural? O senhor acha que um campeonato dividido em duas áreas seria uma boa alternativa? Ou seja: com times da zona rural contra times da zona rural; times da zona urbana contra times da zona urbana; e, depois, uma decisão entre os campeões das duas áreas. Seria uma boa proposta?

Cacá – Como eu disse antes, ainda vamos ver a quantidade de clubes, os critérios, os custos. Mas sua ideia é muito boa. Poderá ser um campeonato decidido entre o campeão da zona rural e o da zona urbana, sim. Por que não?

TL – Outro assunto que gera muita expectativa em Abreu e Lima a cada nova gestão é o caso das escolinhas de futebol. Há várias delas em funcionamento no município, mas pouca gente interessada em lhes dar a devida atenção. Essas entidades vão, finalmente, receber atenção especial da sua pasta?

Cacá – Vão, sim. Pretendemos reuni-las, checar as dificuldades que elas estão enfrentando e ver como a gente pode ajudar, na medida do possível. Procuraremos ajudar com transporte quando forem representar o município em outros lugares, doar material esportivo, fornecer alimentação, entre outras coisas dentro das nossas condições. De início, será apenas um pequeno suporte para amenizar as dificuldades delas. Mas para o ano o que vem a ideia é garantir uma verba para elas no dentro do orçamento anual do município.

TL – No que se refere às quadras society, há alguma mudança no projeto? O secretário anterior, João Paulo Oliveira, pretendia substituir a grama sintética por areia ou barro. Na sua gestão muda alguma coisa ou tudo permanece como está?

Cacá – Está sendo feito um levantamento de todas as quadras, a fim de promover melhorias em todas elas, mas a grama sintética será mantida. Porém, além das quadras, temos a ideia de fazer outro campo no município. Já tenho uma área em mente, aqui no centro. Vou conversar com o prefeito sobre o assunto . Não podemos depender apenas dos poucos campos já existentes.

TL – Em relação aos demais esportes, quais são os seus projetos?

Cacá – Vamos investir em todos os esportes, não só no futebol. Vamos atrair pessoas de todos os esportes. Temos a ideia, por exemplo, de lançar o projeto “Jogando na Rua”, que deverá ser implantado nos bairros. Trata-se de campeonatos entre bairros, destinados principalmente a esportes como vôlei, basquete, xadrez, entre outros, que demandem pouco espaço. O objetivo é conseguir uma dotação orçamentária que contemple todas as modalidades esportivas.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

 / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

(Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Três dias de jogos da Copa do Mundo na Arena Pernambuco terão o ponto facultativo integral no Governo de Pernambuco. O decreto desta quarta-feira (28) é válido para servidores estaduais que trabalham na Região Metropolitana do Recife. A chefia de cada órgão decidirá como vai funcionar.

Os serviços indispensáveis funcionarão normalmente. A Arena Pernambuco recebe no dia 20 de junho (sexta-feira), a partida entre Itália e Costa Rica, às 13h. No dia 23 (segunda-feira), é a vez da partida entre Croácia e México, às 17h. No dia 26, Estados Unidos e Alemanha se enfrentam às 13h.

Quando a Seleção Brasileira entrar em campo, o expediente dos órgãos do governo vão acompanhar o que for decretado pelo Governo Federal.

Também jogam na Arena Pernambuco Costa do Marfim e Japão, no dia 14 de junho (sábado), às 22h, e uma partida das oitavas-de-final, no dia 29 de junho, às 17h.

Fonte: Do JC Online.

Pesquisar
Publicidade





Encontre-nos no Facebook