Get Adobe Flash player

Esporte

Demorou, mas a espera valeu a pena. Com mais de três horas de atraso, a delegação leonina colocou os pés em Recife e saiu ovacionada pelos resistentes torcedores que continuaram esperando o time no aeroporto. Num esquema montada digno de popstars, por volta das 20h30, os atletas apareceram no topo de um veículo dos bombeiros. No topo e na frente, o tesouro conquistado, a taça de campeão do Nordestão 2014.

Apesar da tarde ter sido marcada por confusões promovidas por uma organizada do Sport, à noite os ânimos se acalmaram e o clima de festa tomou conta da multidão que aguardava os heróis.

Os atletas mais assediados pela torcida, como já era de se esperar, foram Neto Baiano e Magrão. O time seguiu pela Avenida Mascarenhas de Morais e desembarcou na Ilha do Retiro, onde havia outra parte da torcida leonina esperando os campeões. A festa não deve parar tão cedo e deve seguir pela noite desta quinta-feira.

Fonte: Por Gustavo Lucchesi, do Blog de Primeira.

(Foto: Acervo JC Imagem)

(Foto: Acervo JC Imagem)

O Sport voltou a bater o Flamengo na esfera jurídica, confirmando no Superior Tribunal de Justiça a exclusividade do título de campeão brasileiro de 1987. Na tarde desta terça-feira, por quatro votos a um, os ministros decidiram não dividir a conquista, como queria a Confederação Brasileira de Futebol.

O STJ já havia dado ganho de causa ao Sport, que brigou desde o final da década de 80 pelo reconhecimento. Com o aval da CBF. Mas o ex-presidente da entidade Ricardo Teixeira resolveu reconhecer a Copa União de 87 também como um título nacional, além de outros torneios antes de 1971, quando oficialmente começou o Campeonato Brasileiro.

Isso fez com que o Sport e Flamengo voltassem a se enfrentar nos tribunais. E apesar da relatora Nancy Andrighi ter votado a favor da divisão, os demais quatro ministros (Sidnei Beneti, João Otávio de Noronha, Paulo de Tarso Sanseverino e Ricardo Villas Bôas Cueva) foram contrários.

A decisão ainda cabe recurso.

Em 1987, a CBF decidiu não realizar o Brasileirão, por falta de patrocinadores. Quando empresas como açucar União, Rede Globo e Coca Cola criaram a Copa União, a entidade que rege o futebol no Brasil puxou para si a organização, determinando a inclusão de mais 16 equipes, que formariam o Módulo Amarelo. As outras 16, convidadas pelos patrocinadores (na teoria, os maiores clubes do País), formaram o Módulo Verde.

Pelo regulamento, haveria cruzamento entre os dois melhores colocados dos dois módulos. Mas Flamengo, campeão do Verde, e Inter, vice, se recusaram a enfrentar Sport, vencedor do Amarelo, e Guarani. Na final, os pernambucanos derrotaram o Bugre e comemoraram o título, já em fevereiro de 1988.

Fonte: Por Carlyle Paes Barreto, do JC Online.

O Santa Cruz, nos últimos dias, virou saco de pancadas do Sport. Foram três derrotas seguidas. Uma pelo Campeonato Pernambucano e duas pela Copa do Nordeste. Os resultados negativos representam um balde d’água fria na fervura da apaixonada torcida tricolor. Mas, se servir de consolo, é bom atentar para o ditado de que “há males que vêm para o bem”. Ou seja, é bom que tanto a diretoria como alguns torcedores que se deixam levar facilmente pela emoção desçam do salto alto e parem de pensar na atual equipe como sendo um supertime, coisa que ela não é, em hipótese alguma. Na verdade, o elenco coral é mediano e limitado, apesar de contar com um bom treinador e alguns bons jogadores.

Os dirigentes do Santinha precisam começar a preparar o time para a Série B, que é uma competição duríssima e que vai demandar não só um elenco forte, mas uma equipe com boas peças de reposição. Aliás, no momento, o Sport está muito melhor neste quesito, pois cada atleta que entra durante as partidas mantém uma regularidade essencial para o bom desempenho do time em campo, o que tem dado força ao esquema tático implantado pelo técnico Eduardo Batista. No caso do Santa Cruz, tem acontecido o contrário, isto é, além de os principais jogadores não estarem rendendo o que se espera deles, os reservas que entram nos jogos também não têm correspondido, à altura, nem às expectativas do treinador Vica nem às da torcida.

O time coral necessita se reforçar para a Série B do Brasileirão 2014, independentemente de suas pretensões em relação ao Estadual. Os últimos tropeços diante do Sport foram importantes porque deverão colocar torcedores e direção num pedestal de humildade, em relação aos pontos fracos da equipe. Por outro lado, no que diz respeito à diretoria do Sport, é crucial não cair no erro tricolor, e achar que agora tem um elenco poderoso que vai sair atropelando todos os adversários que vierem pela frente, pois isso não vai funcionar, porque para disputar o Brasileiro da 1ª Divisão o elenco leonino ainda precisa de ajustes, inclusive com a contratação de alguns reforços de peso para determinadas posições. Em síntese, embora o Sport tenha um plantel respeitável, também não pode incorrer na ilusão de considerar-se o dono da bola pelo simples fato de haver vencido o Santa Cruz três vezes. Indiscutivelmente, pela rivalidade, as vitórias sobre o “freguês” tricolor são significativas justamente por se tratar do seu principal rival no Estado. Entretanto, cautela não faz mal a ninguém. Afinal, se subir para a Série A é tarefa difícil, mais complicado ainda é manter-se na elite, o que demanda, entre outras coisas, foco e planejamento.

Por Josué Batista.

Antes das atividades esportivas, a garotada ouve palestras de convidados sobre a Bíblia, e testemunhos de colegas do grupo.

Antes das atividades esportivas, a garotada ouve palestras
de convidados sobre a Bíblia, e testemunhos de colegas do
grupo.

Gol para Cristo
O campo do Bangu, no bairro de Inhamã, em Abreu e Lima, é palco, nas tardes de sábado, a partir das 14h, de uma iniciativa que une esporte e religião como forma de enfrentar problemas sociais como drogas, violência, criminalidade, entre outros. Trata-se do Projeto Gol, que foi criado em 1993, por jovens da Primeira Igreja Batista do município. “O objetivo do projeto é levar a palavra de Deus para jovens e adultos através do futebol, transformando vi- das, formando verdadeiros cidadãos e restaurando famílias”, ressalta Ednilson Edvaldo da Silva, mais conhecido como Irmão Branco, que é fundador do referido trabalho social.

De acordo com Irmão Branco, atualmente, cerca de 80 jovens estão inscritos para participar das atividades do Projeto Gol. “Eles ouvem a palavra de Deus e os testemunhos de outros jovens que tiveram suas vidas transformadas”, acrescenta.

Além de Irmão Branco, que exerce o cargo de vice-presidente do projeto, há outras pessoas direta ou indiretamente envolvidas na condução do referido empreendimento social. Entre elas destacam-se: o Pastor Josebias Ferreira, o irmão Rosinaldo (presidente), João Bezerra (secretário) e José Carlos (diretor de esporte).

Rivaldo: o difícil adeus aos gramados.

Rivaldo: o difícil adeus aos
gramados.

Pendurando as chuteiras
O craque Rivaldo anunciou recentemente sua aposentadoria dos gramados. Tarde demais para uns, mas uma pena para os amantes do futebol arte, criativo, bem jogado. É claro que o próprio atleta reconhecia que já estava na hora de parar. Porém, encontrar o momento certo parecia uma tarefa difícil. Mas, como tudo tem um fim, o incansável jogador de 41 anos de idade (22 anos deles dedicados ao futebol) teve que se curvar ao tempo. E, sem dúvidas, vai deixar saudade.

Pentacampeão mundial com a Seleção em 2002, na Copa do Japão e da Coréia, Rivaldo sai de cena com um currículo invejável, construído ao longo de uma carreira de sucesso que teve início nas divisões de base do Santa Cruz, e que começou a ganhar vulto em princípios da década de 90, quando, ao deixar a equipe pernambucana, se transferiu para o Mogi Mirim. Foi então que ele se tornou conhecido. A projeção rendeu-lhe contratos com grandes equipes nacionais e internacionais, como Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro, La Coruña, Barcelona e Milan, entre outras. Ele inclusive marcou passagem pelo futebol grego e asiático. No entanto, de todos os clubes por onde passou, o Barcelona foi especial, pois foi no clube catalão, entre os anos de 1998 e 2002, que ele atingiu o auge da carreira. Nessa época, o craque foi eleito o melhor jogador do mundo, além de conquistar o vice-mundial na França, em 98, e o pentacampeonato no Japão e na Coreia, em 2002.

De volta ao Brasil, Rivaldo ainda jogou no São Caetano e no São Paulo. Mas o brilho do passado já não era o mesmo. Finalmente, contratado pelo Mogi Mirim, seu objetivo era parar de jogar ao final do Paulistão deste ano. Porém, acometido de um problema crônico no joelho, ele resolveu antecipar a decisão. Agora, o craque deverá continuar atuando no futebol, mas apenas nos bastidores, como presidente e investidor do clube.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com.

Quadra deteriorada: É a única opção de lazer para as crianças e adolescentes.

Quadra deteriorada: É a única opção de lazer para as crianças e adolescentes.

Situação de lazer ou de playground está, cada vez, mais escasso achar um lugar adequado não só para as crianças, mas também dos adolescentes e jovens. O voluntário social do bairro de Desterro, em Abreu e Lima, Getúlio Barros, procurou a reportagem da Folha Metropolitana, no dia 20 de março, para criticar a Prefeitura do Município pela incapacidade de gerir seus problemas, entre eles a falta de um lugar amplo e seguro para as crianças brincarem.

De acordo com Barros, os jovens reivindicam uma construção de uma praça para a prática de atividades recreativas. “Mas, infelizmente, a Prefeitura tem se omitido, em não resolver o problema.

O morador Getúlio Barros ouviu a queixa dos jovens e reivindicou da Prefeitura do Município a construção da praça de lazer, no bairro de Desterro. “ Espero que a reivindicação chegue aos ouvidos do prefeito Marcos José e o mesmo tome as devidas providências”, afirmou, acrescentando que “ as crianças de hoje, são os eleitores de amanhã”, completou Getúlio Barros. Ele disse que espera uma providência da Prefeitura de Abreu e Lima.

Determinação só terá efeito quando torcidas e PM forem notificadas oficialmente. Infelizmente, as uniformizadas estarão liberadas até isso acontecer. (Foto: Paullo Almeira/FolhaPE/Arquivo)

Determinação só terá efeito quando torcidas e PM forem notificadas oficialmente. Infelizmente, as uniformizadas estarão liberadas até isso acontecer. (Foto: Paullo Almeira/FolhaPE/Arquivo)

Uma grande confusão causada por informações desencontradas agitou o futebol pernambucano na noite desta terça-feira (18). O fato é que as facções organizadas, Torcida Jovem, Inferno Coral e Fanáutico, estarão suspensas dos estádios pernambucanos até segunda ordem. A decisão veio com uma liminar (medida provisória) expedida pelo juiz Edvaldo Palmeira, da 5ª Vara da Fazenda Pública.

Porém, ao contrário do que muitos torciam e imaginavam, as torcidas organizadas ainda não estão vetadas para o clássico decisivo desta quarta-feira (19), entre Santa Cruz e Sport. O veto só começará a valer legalmente quando as três uniformizadas forem notificadas oficialmente, o que não deve ocorrer com tanta facilidade. Além disso, a Polícia Militar também precisa ser avisada, segundo o magistrado, pois ela também faz parte do processo de suspensão.

Através da liminar, o Edvaldo Palmeira também estipula uma multa de R$ 5 mil para cada vez que a determinação for descumprida. Além disso, o magistrado deu um prazo de 30 dias para as organizadas apresentarem um cadastro com todos os seus membros.

“A suspensão das organizadas começa a valer quando todas as partes forem notificadas (as três torcidas e a PM) e não tem data estipulada para o término. Pode durar um dia como pode durar um ano. Para ficar claro, estão suspensas até segunda ordem”, esclareceu o juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, em conversa por telefone com o Blog de Primeira.

Sobre a expectativa de quando todos serão notificados e a liminar passará a ter efeito, Edvaldo não conseguiu ser preciso na resposta. “Espero que as notificações sejam entregues pelos oficiais de justiça já amanhã (quarta-feira), mas nada garante que todos receberão os documentos. Isso não depende de nós”, disse.

Fonte: Por Gustavo Lucchesi, do Blog de Primeira.

“A cidade de Abreu e Lima poderá contar, em breve, com a construção de seu primeiro ginásio poliesportivo”. A declaração é do Secretário de Esportes e Lazer do município, João Paulo Oliveira. Segundo ele, se tudo ocorrer dentro do previsto, uma unidade do “Centro de Iniciação ao Esporte” (CIE) deverá ser implantada no bairro de Caetés III, no terreno onde ficava a antiga Associação de Moradores.

Os CIEs são um projeto do Ministério dos Esportes, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Seu objetivo, segundo o governo federal, é ampliar a oferta de infraestrutura de equipamento público esportivo qualificado, incentivando a iniciação esportiva em territórios de alta vulnerabilidade social das grandes cidades brasileiras. A iniciativa, que se apresenta em três modelos distintos, visa integrar, num só espaço físico, atividades e a prática de esportes voltados ao esporte de alto rendimento, estimulando a formação de atletas, entre crianças e adolescentes.

De acordo com Oliveira, Abreu e Lima concorre ao Modelo I, que contempla a construção de um ginásio poliesportivo com arquibancadas para 177 lugares, além de uma área de apoio (administração, sala de professores, técnicos, vestiários, chuveiros, enfermaria, copa, depósito, academia e sanitário público). “Há 80% de chances em nosso favor. O projeto já está na segunda fase, que trata, entre outras coisas, do levantamento da documentação específica, e do contrato com a Caixa Econômica Federal. Talvez, dentro de uns quatro meses o processo seja concluído”, explicou o secretário.

Por Josué Batista

Entrevista 2
Na segunda e última parte da entrevista com o secretário de Esportes e Lazer de Abreu e Lima, João Paulo Oliveira, a coluna Tiro Livre enfatiza os seguintes pontos: “Campeonato de Futebol 2013(e 2014)”, “Escolinhas de Futebol” e “Liga Desportiva”.

Abreu e Lima respira futebol
Embora reconheça a necessidade de investir em outras modalidades esportivas, João Paulo Oliveira, deixou claro que o futebol merece atenção especial. Uma prova disso é sua avaliação a respeito do Campeonato de Futebol que foi realizado no final do ano passado. Para ele, o evento deixou um saldo bastante positivo, principalmente devido à boa aceitação por parte dos clubes e da população. ”Abreu e Lima respira futebol. E o Campeonato mexeu com toda a cidade”, comentou, lembrando que até o comércio ambulante foi beneficiado com a realização dos jogos.

De acordo com o secretário, cerca de 500 pessoas estiveram diretamente envolvidas na realização da competição, entre organizadores, jogadores, técnicos, assistentes técnicos, arbitragem, entre outras categorias. Além disso, os campos de jogo também receberam melhorias. O Beira Rio, por exemplo, sofreu intervenção em sua infraestrutura, recebendo serviços de limpeza, corte de grama e troca e pintura de uma das traves. Já o campo de Inhamã, além de ter suas traves trocadas e pintadas, também recebeu redes novas. “A participação no evento já foi muito boa, porém poderia ter sido muito melhor, caso houvesse uma divulgação maior”, conclui ele, prometendo que a edição 2014 do Campeonato já está garantida.

Apesar de ter se mostrado satisfeito com o resultado do torneio de futebol, Oliveira não escondeu o ressentimento por não conseguir integrar, em termos esportivos, o centro da cidade com a zona rural. Para ele, o maior vilão é o custo dos deslocamentos. “Precisamos envolver mais o pessoal da zona rural, mas infelizmente ainda não temos condições de fazer isso”, lamentou o secretário, sugerindo que uma alternativa para amenizar o problema seria a realização de torneios específicos em áreas mais remotas do município, como Pitanga, Chã de Cruz, Incra, Engenho Velho, entre outras.

Escolinhas
No que se refere às Escolinhas de Futebol espalhadas pelo município, o secretário afirmou que alguma coisa já está sendo feita para apoiar os diversos grupos. Segundo ele, a Prefeitura tem ajudado, por exemplo, na realização de torneios. Mas ele assegurou que a ideia, a partir de agora, é doar kits de incentivo a essas entidades, contendo, principalmente, bolas, coletes e cones para treinamento. Oliveira não soube precisar o número exato de escolinhas de futebol existentes em Abreu e Lima, mas revelou que, num levantamento recente, 15 grupos foram identificados. Segundo ele, alguns funcionam em quadras society da Prefeitura; outros, porém, estão sem um espaço público para realizar seu trabalho e, às vezes, têm que pagar para treinar em espaços privados. “Precisamos agendar melhor nossos horários, a fim de que um número cada vez maior de pessoas seja beneficiado”, confessou. “Agora mesmo, por exemplo, a gente acaba de perder o Campo da Bela Vista para a construção da nova Escola Técnica, que é um empreendimento muito bom para o município. Mas as pessoas que treinavam lá precisam de novos espaços”, concluiu.

Liga Desportiva
Perguntado sobre a atual situação da Liga Desportiva local, que está fora de atividade há mais de uma década, o secretário lamentou o fato. Mas disse que a Prefeitura está fazendo o que pode, dentro dos seus limites, para ajudar na revelação de novos talentos para o município. Segundo ele, muitos dos jogadores que participaram do Campeonato da Prefeitura são oriundos dos clubes que fazem parte da Liga. Sendo assim, alguns deles poderão compor a seleção de Abreu e Lima em edições futuras da Copa do Interior. “Fora isso, em relação à Liga, que é uma entidade particular, nada podemos fazer. Mas, caso de uma hora para a outra esse problema da Liga seja resolvido, então a Prefeitura está pronta para ajudar, no que for possível, tanto na realização dos campeonatos como no apoio aos clubes”, esclareceu.

Detalhe: Recentemente, fomos informados de que o problema da Liga já foi resolvido. O novo presidente da entidade deverá ser Janiel Luiz, desportista de 38 anos, bastante conhecido em Abreu e Lima. Mais informações sobre o assunto na próxima edição da Folha Metropolitana.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

Sol, praia e uma apresentação de diversos atletas de renome do windsurf brasileiro. Esta mistura esquentou o pontal do Gavoa, no último dia 23 de fevereiro, que teve início às 10h. Foi a primeira vez que os praticantes visitaram o Litoral Norte com este esporte à vela. Marcaram presença nomes do cenário pernambucano e até de outros estados brasileiros. Participam do encontro cerca de 15 atletas. O evento contou com o apoio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Turismo, que pretende disseminar a prática do WindSurf no litoral do município, com o objetivo de atrair mais visitantes e patrocinadores também. A Secretaria de Turismo pretende incentivar a prática de esportes náuticos no município de Igarassu.

Oscar abriu o placar da goleada, após lindo lançamento de Hulk. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Oscar abriu o placar da goleada, após lindo lançamento de Hulk. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Se a última impressão é que fica, o Brasil chegará com tudo para a Copa do Mundo 2014. No último teste antes da convocação final dos 23 que irão para o Mundial (a divulgação será feita no dia 7 de maio), Felipão deve ter saído bem satisfeito com o que viu. Na goleada do Brasil por 5×0 contra a África do Sul, no estádio Soccer City, os pontos positivos deixaram ainda mais dúvidas na cabeça do treinador brasileiro.

Na primeira chance como titulares, o lateral Rafinha (Bayern de Munique) e Fernandinho (Manchester City) ganharam pontos importantes para conseguir carimbar o passaporte para a Copa. Os dois terminaram a partida em campo e tiveram boas atuações. O segundo vinha um pouco apagado, mas acertou um chutaço e marcou um lindo gol, o que fechou a goleada.

Outra constatação feliz é que Neymar se mostrou completamente recuperado da lesão sofrida no Barcelona, que o tirou de atividade por pouco mais de um mês. O camisa 10 da seleção marcou três gols e foi perigo constante aos sul-africanos.

Na ala das preocupações está o atacante Fred. Apesar da assistência para o segundo gol de Neymar, ele se movimentou pouco e foi figura apagada. Muito se deve pelo fato de o atleta estar se recuperando de uma lesão muscular. O último jogo pela Canarinho foi em agosto do ano passado, contra a Suíça.

Com uma assistência e boa participação na partida, o atacante Jô, além de praticamente carimbar seu nome na lista final, ganhou pontos para tentar uma titularidade.

O JOGO

Não se pode dizer que a África do Sul foi a melhor escolha para que Felipão tirasse suas dúvidas finais antes da convocação final para a Copa do Mundo 2014. Fora da Copa, os sul-africanos cometiam erros primários e foram presas fáceis, mesmo com os brasileiros atuando claramente de forma moderada, sem pisar no acelerador.

Com apenas nove minutos de bola rolando, Hulk deu belo lançamento para Oscar, que tocou na saída do goleiro para abrir o placar. Com uma forte marcação, o Brasil não deixava o adversário respirar. Aos 40 minutos, em roubada na saída de bola dos donos da casa, Neymar recebeu na intermediária e chutou de esquerda, rasteiro, para ampliar o placar.

Na segunda etapa, os brasileiros precisaram de poucos menos de 30 segundos para fazer o terceiro. Com bela assistência de Fred, Neymar saiu de frente com o goleiro e tocou com classe, de cobertura, para aumentar ainda mais a diferença.

Após uma série de substituições, o jogo esfriou e o quarto gol saiu apenas aos 33 minutos. Bem na marcação, porém saindo pouco para o jogo (um dos seus pontos forte), Fernandinho resolveu sair um pouco e acertou um lindo chute, fazendo 4×0.

Ainda deu tempo de Jô mostrar que é nome garantido na lista final. O atacante escorou cruzamento e deixou Neymar livre para fechar a conta e passar a régua.

Fonte: Por Gustavo Lucchesi, do Folha PE.

Pesquisar
Publicidade





Encontre-nos no Facebook