Get Adobe Flash player

Esporte

Copa-dos-campeoesO troféu da Copa dos Campeões das Ligas do Interior esteve em Abreu e Lima, entre os dias 11 e 13 de novembro passado, a fim de cumprir o tour programado pela Federação Pernambucana de Futebol em cidades participantes da referida competição.  Quem foi à sede da Prefeitura, no centro do município, na ocasião, pôde apreciar o objeto de desejo dos clubes e posar para fotos ao seu lado. O evento inédito atraiu torcedores e muitos curiosos de várias partes da cidade.

Por Josué Batista

Abreu e Lima está fora da Copa dos Campeões
A participação do Real Caetés na Copa dos Campeões das Ligas do Interior chegou ao fim no último sábado, 29 de novembro, quando a equipe de Caetés II foi goleada por 4 a 0 pelo Santa Cruz. de Carpina. Representante de Abreu e Lima na competição, o Real teve um desempenho relativamente  bom na primeira fase, classificando-se em segundo lugar no grupo D. Na segunda fase, porém, o time caiu de produção, perdendo os dois jogos que disputou. Foi derrotado por 1 a 0 pelo Valência, de Igarassu, e, em seguida, levou um chocolate do Santa Cruz, de Carpina: 4 a 0. Confira o retrospecto da equipe abreulimense nas demais partidas disputadas: 3 a 2 contra o Atlético, de Camaragibe, 2 a 1 contra Santa Cruz, de Carpina, WO contra o Atlético, de Camaragibe, 2 a 2 contra o Valência, de Igarassu.

O meia Aderlan foi um dos destaques do Real no torneio.

O meia Aderlan foi um dos destaques do Real no torneio.

Destaque
Embora tenha sido desclassificado da Copa dos Campeões das Ligas do Interior, o Real Caetés apresentou um elenco bastante interessante. Alguns atletas se destacaram na competição. Um exemplo é o meia Aderlan, de 24 anos. Um dos artilheiros do time de Caetés II, com dois gols, ele saiu da competição como um dos artilheiros da equipe, atrás apenas do atacante Diego, que marcou três vezes.

Continue lendo

Nos dias 15 e 16 de novembro, a Prefeitura Municipal de Itamaracá sediou a 2º etapa do Campeonato Pernambucano de Enduro de Regularidades, organizada pela Federação Pernambucana de Motociclismo. Pilotos de diversos estados brasileiros participarão do evento. A largada aconteceu na Praia do Forte Orange, a partir das 10h. Realização Federação Pernambucana de Motociclismo, com apoio Prefeitura da Ilha de Itamaracá. “Eventos como esses são muito importantes para o crescimento do município da sua população”, comentou o prefeito Paulo Batista, acrescentando que outros eventos deverão realizados.

 / Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

A roda de capoeira é considerada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade a partir desta quarta (26). A decisão foi tomada na 9ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial, da Unesco, que acontece em Paris, e junta a capoeira a outras manifestações culturais já consideradas patrimônio, como o samba de roda do recôncavo baiano e ao frevo pernambucano.

Representantes do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão responsável pela apresentação do dossiê que possibilita a obtenção do status, acompanharam a votação na França. O título não confere prêmio financeiro, mas, segundo Jurema Machado, presidenta do Iphan, “amplia as condições de salvaguarda desse bem”. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Cultura, os efeitos do reconhecimento não são diretos nem imediatos, mas este ajudaria a dar visibilidade à manifestação cultural.

A capoeira surgiu no Brasil do século 17, durante o regime escravocrata, e é atualmente praticada em mais de 160 países. Uma roda de capoeira será realizada nesta quarta (26), às 12h, no Masp, para comemorar a obtenção do título de patrimônio imaterial.

Fonte: Da Folhapress.

Rogério Ceni. (Foto: William Volcov/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

AE – Construída para a Copa do Mundo, a Arena Pernambuco, localizada em São Lourenço da Mata, na região metropolitana do Recife, poderá entrar para a história como palco do último jogo da carreira de Rogério Ceni. Nesta terça-feira, a CBF alterou a tabela do Brasileirão e marcou para lá o jogo entre Sport e São Paulo, pela última rodada.

A partida estava previamente marcada para a Ilha do Retiro, mas foi levada para a Arena Pernambuco em busca de melhor renda. Caso confirme a aposentadoria ao fim da temporada, Rogério Ceni vai fazer, na última rodada da edição deste ano, a sua última partida pelo Campeonato Brasileiro.

Depois desse jogo, marcado para 7 de dezembro, o São Paulo ainda pode fazer mais um, a segunda partida da final da Copa Sul-Americana, contra River Plate (na Argentina) ou Boca Juniors (em São Paulo). Para isso, precisa vencer por dois ou mais gols de diferença o Atlético Nacional, da Colômbia, nesta quarta-feira, pela semifinal.

Por outro lado, caso vença o Figueirense, domingo, no Morumbi, o São Paulo garante vaga na fase de grupos da Libertadores e o vice-campeonato brasileiro. Assim, caso avance à final da Sul-Americana, é provável que jogue com time misto diante do Sport.

Fonte: Por José Neves Cabral, do Blog de Primeira.

Começa a Copa dos Campeões do Interior
A Copa dos Campeões das Ligas do Interior, edição 2014, já está a pleno vapor. A competição, que é promovida e organizada pela Federação Pernambucana de Futebol, teve início no dia 11 de outubro, e deverá se estender até o dia 21 de dezembro. De acordo com o regulamento divulgado no site da FPF, 12 clubes, divididos em quatro grupos, participam do evento esportivo. Ao todo, serão 12 rodadas num total de 38 partidas. E cada liga só poderá inscrever, no máximo, 30 atletas, todos amadores, sem limite de idade. A cidade de Abreu e Lima, que acaba de fundar sua nova Liga Desportiva, é representada no torneio pelo Real Caetés, do bairro de Caetés II. Segundo Janiel Luiz, presidente da recém-criada Liga Desportiva e Cultural de Abreu e Lima, a opção pelo Real seguiu critérios meramente institucionais. “A escolha se deu pelo fato de o clube ser o único juridicamente filiado à nova liga”, argumentou.

O Real Caetés disputa o torneio com 25 jogadores, todos de Abreu e Lima. A equipe, que é treinada pelo técnico Jadilson Rocha, tem um elenco bastante jovem. Embora o estatuto do torneio deixe os dirigentes dos clubes livres para decidir em relação à faixa etária dos seus jogadores, a idade da maioria dos atletas abreulimenses convocados gira em torno dos 17 anos. Mas, apesar da aparente falta de experiência, a equipe conseguiu resistir bem às pressões no jogo de estreia, no dia 12 de outubro, contra o Valência, de Igarassu, fora de casa. Depois de terminar o primeiro tempo perdendo por 2 a 0, o Real apresentou uma reação surpreendente na volta do intervalo e empatou a partida com gols de Nailton e Alex. Os gols da equipe igarassuense foram marcados por Marlon e Nielson. No segundo jogo, o desempenho da garotada foi ainda melhor: 3 a 2 sobre o Atlético do Santana, de Camaragibe, na casa do adversário.

Além de ter que competir contra adversários dentro de campo, a equipe local também vem tendo que superar outro grande obstáculo fora das quatro linhas: a falta de verba para manter-se no torneio. De acordo com o presidente Janiel Luiz, a maior dificuldade é bancar os deslocamentos e a alimentação dos atletas nos dias de jogo. “Este é nosso maior desafio. Mas já estamos mantendo contatos junto à iniciativa privada e à Prefeitura do Município, a fim de captar recursos para resolver esse problema”, comentou.

As demais equipes que disputam a competição ao lado do Real Caetés são: Stª Cruz F.C (Carpina), S. Cristóvão/Libertar (Paudalho), Independente F.C. (Timbaúba), BR F.C. (Cachoeirinha), Valencia F.C. (Igarassu), Maitá F.C. (Santa Cruz do Capibaribe), Napoli F.C. (Toritama), Atlético do Santana (Camaragibe), Guarany F.C. (Limoeiro), Milan F.C. (Surubim) e T.L. Esportes (Vitória de Santo Antão).

Tour da taça
Enquanto a Copa dos Campeões das Ligas do Interior segue seu cronograma normal, dentro de campo, outro evento importante vem se desenrolando fora das quatro linhas. Trata-se do “Tour do Troféu, que vem atraindo a atenção de muitos torcedores das equipes envolvidas na competição que é realizada pela Federação Pernambucana de Futebol. O Tour do Troféu, na verdade, consiste em uma série exposições programadas, que vêm percorrendo cidades que têm clubes disputando o referido torneio estadual. Em Abreu e Lima, o troféu ficará exposto na sede da Prefeitura, no centro da cidade, entre os dias 11 e 13 de novembro. Depois do giro pelos municípios, ele deverá retornar à sede da Federação Pernambucana, a partir do dia 17 de novembro. Confira abaixo a lista das cidades contempladas e as datas da exibição pública do troféu.

Carpina – 21/10/2014 a 26/10/2014
Timbauba – 26/10/2014 a 30/10/2014
Paudalho – 30/10/2014 a 03/11/2014
Cachoeirinha – 03/11/2014 a 06/11/2014
Igarassu – 06/11/2014 a 10/11/2014
Abreu e Lima – 10/11/2014 a 13/11/2014
Camaragibe – 13/11/2014 a 16/11/2014
Fonte: Federação Pernambucana de Futebol

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

Neste domingo (26), quando mais de seis milhões de eleitores devem ir às urnas no segundo turno das eleições, o Recife Antigo de Coração terá sua programação normal, como no último domingo de cada mês. A 20ª edição do projeto, que é gratuito, terá o cantor André Rio como principal atração do polo cultural. Como sempre, também haverá atividades esportivas e infantis para o público.

A parte musical começa às 8h, com show de Maracambuco. A programação continua com Carlinhos Monte Verde, às 09h30; Sambê, às 11h; e Beto do Bandolim, com a participação de Valmir Chagas, a partir das 14h, no palco montado na avenida Alfredo Lisboa, no Marco Zero. Na Rua da Moeda, das 14h30 às 17h, tem show de Karina Spinelly.

O point da criançada será a Alfredo Lisboa, com brinquedo inflável, atividades esportivas e de recreação, exposição de álbuns de figurinhas e oficina de pintura. Na Avenida Rio Branco, o projeto contará, ainda, com venda de caricaturas; Gibiteca Sorrisos Geram Sorrisos; Espaço de Beleza do projeto Força na Peruca, projeto voluntário mantido por estudantes de medicina para apoio a mulheres com câncer; Campanha Além do Rosa, de prevenção do câncer de mama; exposição de fotos Um Olhar sobre o Amanhã; e exposição de carros antigos.

O público também contará com aluguel de bicicleta e patins na Rua do Bom Jesus; futebol americano e baseball, na avenida Rio Branco; rampas de skate na Alfredo Lisboa; futebol, vôlei, basquete, slackline e patinação artística, na avenida Marquês de Olinda; além de handebol e badminton, na rua Dona Maria César.

Ciclofaixa
Quem está acostumado com a tradicional Ciclofaixa de Turismo e Lazer deverá esperar até a próxima semana. Em atendimento a uma solicitação do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), a Secretaria de Turismo e Lazer do Recife informou que o projeto estará suspenso neste domingo. O cancelamento vale para os passeios de domingo do projeto Olha! Recife.

Confira a programação do Recife Antigo de Coração:

Polo Cultural
– Venda de Caricaturas: Avenida Rio Branco – 8h às 17h;
– Sorrisos Geram Sorrisos: Avenida Rio Branco – 8h às 17h;
– Espaço da Beleza – Rede Feminina: Avenida Rio Branco – 8h às 17h;
– Campanha Além do Rosa: Avenida Rio Branco – 8h às 17h;
– Exposição fotográfica “Um olhar sobre o amanhã”: Avenida Rio Branco – 8h às 17h;
– Exposição de Carros Antigos: Avenida Rio Branco – 14h às 17h;
– Maracambuco: Marco Zero – 8h às 9h;
– Carlinhos Monte Verde: Marco Zero – 9h30 às 10h30;
– Sambê: Marco Zero – 11h às 12h;
– Beto do Bandolim: Marco Zero – 14h às 15h;
– André Rio: Marco Zero – 15h30 às 17h30;
– Dançando na Rua: Praça do Arsenal – 15h às 22h.

Polo Musical
– Karynna Spinelli e convidados: Rua da Moeda – 14h às 17h30.

Polo Esportivo
– Aluguel de bicicleta e patins: Rua do Bom Jesus – 8h às 17h;
– Futebol Americano: Avenida Rio Branco – 8h às 12h;
– Baseball: Avenida Rio Branco – 8h às 12h;
– Arena Radical (Rampas de skate): Avenida Alfredo Lisboa – 8h às 17h;
– Futebol: Avenida Marquês de Olinda – 8h às 17h;
– Handebol: Rua Dona Maria César – 8h às 17h;
– Badminton: Rua Dona Maria César – 8h às 17h;
– Vôlei: Avenida Marquês de Olinda – 8h às 17h;
– Basquete de Rua: Av. Marquês de Olinda – 8h às 17h;
– Slackline: Avenida Marquês de Olinda – 8h às 17h;
– Patinação Artística: Avenida Marquês de Olinda – 14h às 18h.

Polo Infantil
– Recreação “Brincando na Rua”: Avenida Alfredo Lisboa – 8h às 17h;
– Exposição de álbum de figurinhas: Avenida Alfredo Lisboa – 8h às 17h;
– Oficina de pintura: Avenida Alfredo Lisboa – 15h às 17h.

Fonte: Por Luiz Filipe Freire, com informações da assessoria da Folha PE.

Nódoa Racista
Virou moda! O registro de casos de “racismo” no futebol brasileiro já se tornou algo corriqueiro. Esta coluna, inclusive, já abordou o tema em edições anteriores. A vítima desta vez foi o goleiro Aranha, do Santos. Durante uma partida válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil, realizada na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no dia 28 de agosto passado, o arqueiro foi insultado por torcedores gremistas. Câmeras do canal ESPN Brasil flagraram uma torcedora chamando Aranha de macaco e o resto do grupo fazendo sons que lembravam o primata. O Santos venceu a partida por 2 a 0, mas o futebol, o esporte mais popular do país, saiu de campo derrotado.

As ofensas praticadas contra o goleiro santista são intoleráveis. Elas representam uma vergonhosa nódoa na história de um país que luta para eliminar de vez o fantasma da escravidão e do preconceito. Mas, do ponto de vista jurídico, trata-se apenas de um crime de “baixo teor ofensivo”. Isso mesmo! Embora a imprensa, muitas vezes, divulgue tais ocorrências como “racismo”, na verdade, elas configuram tão somente “injúrias raciais”. E isso faz toda a diferença!

De acordo com o professor de Direito Penal da Faculdade Maurício de Nassau, unidade Rio Grande do Norte, Sandresson Menezes, muita gente confunde os conceitos de injúria racial e racismo. Ele explica que o crime de injúria racial (disposto no artigo 140, § 3º do CP) ocorre quando as ofensas de conteúdo discriminatório são empregadas a uma pessoa ou a pessoas determinadas, como por exemplo, “negro fedorento”, “judeu safado”, “baiano vagabundo”, “alemão azedo”, entre outros rótulos. Já o crime de racismo, que consta no artigo 20 da Lei nº 7.716/89, somente será aplicado quando as ofensas não tenham como alvo uma pessoa ou pessoas determinadas, e sim venham a menosprezar determinada raça, cor, etnia, religião ou origem, agredindo um número indeterminado de pessoas, como negar emprego a judeus numa determinada empresa, impedir acesso de índios a determinado estabelecimento, impedir entrada de negros em um shopping, etc.

Ambos os crimes têm suas peculiaridades. Uma delas, segundo o referido jurista, é o fato de o crime de racismo ser imprescritível e inafiançável, ao contrário do que ocorre com o de injúria racial no qual o réu pode responder em liberdade, desde que pague a fiança. A injúria racista tem sua prescrição no prazo de oito anos, determinada pelo art. 109, IV do Código Penal. No crime de racismo, em geral, sempre o impedimento do exercício de determinado direito, sendo que na injúria racial há uma ofensa a pessoa determinada. Outra distinção importante é que no crime de racismo há a lesão do Princípio da Dignidade da Pessoa Humana. No crime de injúria, por sua vez, há a lesão da honra subjetiva da vítima.

Portanto, no caso do goleiro do Santos, o que ocorreu, de fato, foi uma injúria racial e não um ato de racismo. E os que a praticaram, mesmo que venham a ser condenados, continuarão nas ruas sorridentes, servindo de modelo negativo para outros indivíduos facilmente influenciáveis, até que as leis mudem e as penas para esse tipo de crime se tornem mais severas e eficazes.

Atletas na pindaíba
Fazer carreira no futebol e ganhar muito dinheiro, este é o sonho de muitos atletas. Poucos conseguem, é verdade. Mas e quando tudo dá certo, como fazer com a fortuna conquistada? Vários deles ficaram ricos do dia para a noite e, de repente, empobreceram de novo. Uma entrevista publicada pela revista Exame.com, do dia 25 de maio de 2012, com o ex-capitão do Corinthians, Willian Machado, pode ajudar futuros “milionários da bola” a lidar com a questão. O ex-jogador apontou os principais problemas que levam muitos jogadores de futebol à falência. Trata-se de um alerta e, ao mesmo tempo, uma tentativa de orientar aqueles que precisam de suporte para tocar suas carreiras. O ex-jogador, que atua na área de consultoria, citou alguns dos obstáculos mais comuns que contribuem para arrasar a carreira e as finanças dos jogadores, como casamentos breves, gastança, maus investimentos, amizades com pessoas oportunistas e divórcios, entre outros.

Segundo Willian, a maior parte dos jogadores se casa muito cedo, por volta dos 22 anos. E, quando o casamento não dá certo, surge a dor de cabeça. “Muitos se casam em comunhão total de bens e têm que passar 50% de tudo que têm à mulher”, revelou o jogador.

Além disso, outra causa de ruína de jogadores de futebol, segundo o ex-corintiano, são os carros de luxo. O então-ídolo do Santos, Neymar, que hoje joga no Barcelona, é um amante dos “carros de marca”. De acordo com a matéria, enquanto estava em atividade no Brasil, o atacante da Seleção Brasileira chegou a possuir um Mini Cooper (avaliado em 149.000 reais), um Porsche Panamera (1.130.000 reais) e uma Touareg (250.000 reais). O valor total investido nos veículos somava 1,529 milhão de reais. “Não que um milionário não possa aproveitar sua fortuna para comprar um carro de luxo. Mas cabe avaliar o fato de que carros não geram mais dinheiro para o proprietário”, comentou Willian, lembrando que os jogadores costumam trocar de carro uma ou duas vezes por ano. “A cada troca, eles perdem uns 20.000 ou 30.000 reais, e nem percebem, ou não acham que isso faça uma grande diferença naquele momento. Mas em 14, 15 anos de carreira, é uma perda que pode chegar a 900.000 reais”.

Outro problema levantado por William são os amigos interesseiros. Para ele, esses “falsos” amigos estão entre os maiores males que prejudicam os jogadores de futebol. “Amigos ou conhecidos se aproximam para ajudá-los a gerir as finanças ou prestar auxílios das mais diversas formas – na venda de um carro, na compra de um imóvel ou no lançamento de um novo negócio”, relatou o ex-atleta, argumentando que essa ajuda muitas vezes resulta em grandes dores de cabeça, como “investimentos furados”, por exemplo, que tanto tem levado muitos atletas à pindaíba. “Com a vida atribulada, excesso de treinos e viagens, os jogadores acabam sem tempo para pesquisar e entender se as propostas que aparecem são razoáveis”.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

Rivalidade
Argentina e Alemanha reeditaram a final da Copa do Mundo do Brasil, numa partida memorável, digna de duas grandes potências do futebol mundial. Desta vez, os Hermanos se deram melhor vencendo, na casa dos adversários, por 4 a 2.

Embora a imprensa alemã tenha procurado diminuir a importância do resultado da partida, a verdade é que o placar expressivo em favor dos argentinos confirma que o confronto, apesar do clima “amistoso”, pôs em jogo, além da tradicional rivalidade, outros componentes implícitos. É que eles estavam engasgados com as gozações feitas pelos jogadores da seleção alemã após a conquista da copa. Chegaram, inclusive, a chamar os jogadores alemães de racistas. Por isso, para eles, vencer a partida significou lavar a alma! Fazer os adversários engolir suas provocações! Pois é: os hermanos gostam de tirar onda com todo mundo, mas quando são caçoados perdem a compostura. Logo eles, que costumam nos rotular de “macacos”!

A volta de Dunga
Na última sexta-feira, dia 5 de setembro, o Brasil venceu a Colômbia, nos Estados Unidos por 1 a 0. Foi a reedição do confronto entre as duas equipes pela Copa do Mundo. O jogo foi marcado por grande rivalidade, como já era de esperar. Apesar de não ter sido uma partida de muita técnica, os dois times apresentaram muita disposição, raça e vontade de vencer.

O encontro entre as duas equipes marcou a reestreia de Dunga à Seleção Brasileira. Se para muita gente o resultado não significo grande coisa, para ele, pelo menos, a vitória tem um sabor especial. Isto é, representa o reinício de um trabalho, a tentativa de dar a volta por cima. Até aí, tudo bem. Começar uma campanha vencendo é sempre bom. Mas, cabeça-dura, como é, o risco é que ele comece a encarar o resultado como superstição e ache que o time não precise de uma renovação maior. É bom lembrar que dos jogadores convocados por ele, a maioria vêm da seleção de Felipão, que fracassou na Copa do Mundo. Aliás, a própria seleção de Felipão já havia sido formada, na sua maioria, por jogadores remanescentes da desastrosa era Mano Menezes. Não houve renovação. E os resultados forram trágicos. Portanto, renovar a Seleção não deve ser apenas uma decisão do treinador, mas uma necessidade para melhorar a imagem do Brasil no cenário futebolístico e, enfim, recolocar o país de volta no mapa das grandes seleções.

Goleiros
O desempenho do goleiro Jefferson, do Botafogo, na partida da última sexta-feira, dia 5, contra a Colômbia, no Maracanã, reacendeu a esperança de que a Seleção Brasileira volte a ter um arqueiro confiante e verdadeiramente convincente. O jogo, em si, não foi lá uma maravilha. Muita correria, muita pancadaria e truculência. Parecia até um videoteipe da partida disputada entre as duas seleções na Copa do Mundo. Houve até uma expulsão do lado colombiano, como havia ocorrido no jogo anterior. E, por pouco, Neymar não se contundiu novamente. Mas a atuação de Jefferson animou o torcedor, que sentiu firmeza nas ações do goleiro. E já era tempo, pois nas duas últimas Copas Júlio César deixou muito a desejar.

Desde a Copa do México, em 1986, até hoje, Taffarel é considerado o melhor guarda-metas que o Brasil já teve. Ele defendeu a Amarelinha em três Copas do Mundo: 1990, 1994 e 1998, sofrendo 15 gols, ao todo. Júlio César, que jogou duas copas, portanto, uma a menos que Taffarel, foi vazado 18 vezes, 14 delas na Copa do Mundo do Brasil. É o pior desempenho de um goleiro brasileiro na história das copas.

Confira o desempenho de outros goleiros da Seleção nesse período: Carlos (Copa do México – 1986) levou apenas 1 gol em toda a competição e foi eliminado nas quartas de final pela França; Marcos (Coreia e Japão – 2002 ) levou 4 gols e foi campeão; Dida (Alemanha – 2006) levou 2 gols e foi eliminado pela França nas quartas de final.

Sport 1
No início da temporada, o técnico Eduardo Baptista, do Sport, declarou à imprensa que sua prioridade seria a Copa Sul-americana. Ele chegou, inclusive, a colocar o Leão como favorito para vencer a competição internacional. Moral da história: Foi surpreendido pelo Vitória-BA, na quarta-feira, na casa do adversário. Como também já havia sido eliminado da Copa do Brasil, agora só resta o Campeonato Brasileiro. E por falar em Brasileirão, embora a equipe esteja relativamente bem classificada, a verdade é que seu desempenho ainda é bastante claudicante. O time ainda não engatou uma sequência convincente de bons resultados. Agora, porém, sem compromissos com outras competições, a torcida espera um rendimento melhor da equipe. E, por cautela, é bom que o treinador ponha os pés no chão e entenda que favoritismo não se conquista com palavras, mas na prática, através de um bom desempenho em campo.

Sport 2
A eliminação do Sport da Copa Sul-Americana para o Vitória-BA, por 2 a 1, em jogo disputado em Salvador, na quarta-feira, 5 de setembro, reeditou um fantasma que vem assustando o clube pernambucano na atual temporada: Ser derrotado por lanternas. O problema tem incomodado a torcida rubro-negra, que tem sido obrigada a ouvir piadas maldosas de torcedores adversários. Alguns deles, por exemplo, rotularam o Leão da Ilha de “ressuscitador de mortos”.

Brincadeiras à parte, o fato é que o Sport, que já havia sido derrotado pelo então-lanterna Figueirense por 3 a 0, no dia 4 de agosto, em Santa Catarina, e para o Flamengo por 1 a 0, no Maracanã, no dia 10 de agosto, acabou sendo surpreendido por outro clube na mesma situação. Detalhe: O Vitória, até a partida em que despachou o Sport, estava na última colocação do Brasileirão.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com.

fluminense

Cariocas não perdoaram as falhas leoninas. (Foto: Nelson Perez/Fluminense)

Aos 28 minutos do primeiro tempo, o atacante Felipe Azevedo recebeu bola na cara do goleiro Kléver e perdeu a melhor chance do Sport na partida contra o Fluminense. No rebote, Patric ainda acertou a trave. Pronto, esse lance pode resumir bem o que foi a derrota por 4×0 neste domingo, no Maracanã, pela 17ª rodada do Brasileirão. Isso porque enquanto o Leão desperdiçou a oportunidade mais clara que teve, o adversário aproveitou as dele com Cícero, Fred (duas vezes) e Conca. Isso é Série A. Ela é cruel com quem comete falhas ofensivas e defensivas.

Com a derrota, o Leão cai para oitavo na classificação da competição com os mesmos 25 pontos – pode perder mais uma posição a depender do complemento da rodada. Já o Fluminense permanece em quinto, mas se aproxima do G4 – tem 29 pontos e esta a apenas dois do grupo de quatro melhores do Brasileirão. O próximo compromisso das duas equipes é a Sul-Americana. Os leoninos jogam com o Vitória na Ilha, enquanto que os cariocas enfrentam o Goiás.

O JOGO - Pelo placar, o torcedor que não viu o jogo poderia pensar que o Sport foi uma equipe dominada desde o começo. Mas não foi isso o que ocorreu. Armado com três atacantes, o Leão explorou bem as laterais do gramado e marcou forte o adversário nos primeiros minutos. Nem parecia que o visitante era o time rubro-negro, tamanha a tranquilidade que os leoninos tinham para tocarem a bola até o ataque. Do outro lado, o Fluminense tinha dificuldades para levar perigo a Magrão.

Só que a chance clara perdida por Felipe Azevedo e Patric mudou o panorama da partida. Foi um divisor de águas. O Fluminense reagiu ao susto sofrido e cresceu no jogo. Como tem mais qualidade, fez não só um, mas quatro gols na meta de Magrão. Em todos eles, contou com falhas da zaga rubro-negra, que bateu cabeça com o poder ofensivo do adversário.

No primeiro gol do Fluminense, Patric perdeu a posse de bola para Fred, que tocou para Cícero abrir o placar, aos 34 minutos. O meia retribuiu o presente aos 42. Cruzou para o atacante, que se antecipou a Oswaldo para balançar as redes. Já o terceiro gol contou com uma falha coletiva dos leoninos. Conca aproveitou e cobrou falta direto para as redes, surpreendendo Magrão.

Quando o 3×0 parecia suficiente, o Fluminense aumentou o placar da lição dada ao Sport com Fred novamente, aos 33. Ele aproveitou cruzamento na área e guardou no gol. Estava finalizada a aula para os rubro-negros. A expectativa agora é que os comandados de Eduardo Baptista tenham aprendido. Em Série A é preciso aproveitar as chances que se cria porque o adversário do outro lado normalmente não perdoa.

FICHA DA PARTIDA – FLUMINENSE 4X0 SPORT

Fluminense: Clever; Bruno, Elivelton, Henrique e Chiquinho; Valencia (Edson) (Rafinha), Jean, Cícero e Conca; Rafael Sóbis e Fred (Walter). Técnico: Cristovão Borges.

Sport: Magrão; Patric, Oswaldo, Durval e Renê; Rithely, Wendel (Augusto) e Zé Mário (Diego Souza); Ananias, Felipe Azevedo (Ibson) e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Série A (17ª rodada). Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ). Árbitro: André Luiz Castro (Goiás). Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Bahia) e Guilherme Dias Camilo (Minas Gerais). Gols: Cícero (F) aos 34 e Fred (F) aos 42 minutos do primeiro tempo;  Conca aos 4 e Fred aos 33 do segundo. Amarelos: Cícero (F). Público: 13.919.

Fonte: Por Thiago Wagner, do Blog do Torcedor.

Pesquisar
Publicidade





Encontre-nos no Facebook