Get Adobe Flash player

Pernambuco

Política e campanha no Carnaval de Bezerros. (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Política e campanha no Carnaval de Bezerros. (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Integrante do setor burocrático do Governo do Estado, o secretário Paulo Câmara enfrentou o desconhecimento da população na sua primeira agenda pelo interior na condição de pré-candidato a governador pela frente governista, neste domingo (2), no desfile de papangus em Bezerros, no Agreste

Durante os cerca de 40 minutos em que caminharam pelas ruas da cidade, o governador Eduardo Campos (PSB) roubou a cena. Ficou na linha de frente, seguido logo atrás por Câmara, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB) – que disputará o Senado – e o deputado federal Raul Henry – que completa a chapa, na vice -, além de deputados e secretários. O auxiliar era conduzido pelos correligionários para conhecer e cumprimentar os eleitores.

Fonte: Do JC Online.

A empresária Maria do Céu, comandante da boate GLS Metrópole, aproveitou a presença dos pré-candidatos Eduardo Campos (à Presidência da República) e Paulo Câmara (ao Governo do Estado) no Camarote Globeleza e puxou uma conversa sobre política para os gays. Conversaram sobre o conceito de família e como essas questões de orientação sexual transitam pelo lar. Os socialistas se comprometeram em colocar essa pauta em questão dentro do programa de governo que farão para as próximas eleições.

Fonte: Por Eduardo Sena, do blog Roberta Jungmann.

Resiliente, o vice-governador João Lyra Neto (PSB), para surpresas de muitos correligionários e aliados, participou, ontem, da cerimônia de lançamento do candidato à sucessão estadual pela Frente Popular, o secretário estadual da Fazenda, Paulo Câmara (PSB), em um hotel da Zona Sul do Recife. E, apesar de tentar evitar a Imprensa, admitiu a insatisfação ao ser preterido. “É natural do processo”, consentiu Lyra Neto, após o evento. No último fim de semana, enquanto os correligionários estavam em movimentação pró-Câmara nas prévias carnavalescas, o socialista ficou recluso junto à família.

Apesar de ser especulada a possibilidade do vice-governador não assumir o Governo Estadual a partir de 5 de abril, quando o governador e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), se desincompatibilizará do cargo, Lyra Neto, que sentou à mesa no evento ao lado de Câmara, afirmou que pretende dar continuidade ao que está sendo feito pelo correligionário na administração estadual. “(A expectativa é) concluir as obras que foram iniciadas, com mandato o exitoso de sete anos e três meses de muita eficiência, muito progresso e muita ação por Pernambuco, e vamos concluir com certeza esse que deverá ser o maior mandato da nossa história”, disse ele.

Contudo, o vice-governador chegou à cerimônia em cima da hora e, ao término, saiu às pressas, junto com a sua filha, a deputada estadual Raquel Lyra (PSB), e assessores. Em nenhum momento ficou a sós com Eduardo Campos. As declarações do caruaruense assumem o discurso oficial, tentando dirimir qualquer mal-estar, mas as suas atitudes entregam o incomodo.

João Lyra Neto trocou o PDT pelo PSB, em outubro do ano passado, visando à candidatura ao Governo de Pernambuco. Não se antecipou ou puxou para si o holofote, portando-se conforme os passos ditados por Campos. No entanto, nunca teve uma sinalização concreta a respeito da postulação, embora continuasse alimentando essa esperança.

Comenta-se, internamente, que o incomodo do caruaruense vem de anos atrás, ainda na disputa pela reeleição de Campos ao Governo Estadual, em 2010, quando Lyra passou meses sendo fritado nos bastidores. Sua presença na chapa foi muitas vezes questionada. Diante deste episódio e do rito comum ao que ocorre com os vices que assumem interinamente o Governo e, na sequência, se lançam candidatos, ele não teria se sentido respeitado.

Fonte: Por Marcelo Montanini, da Folha de Pernambuco.

O governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) e a sua possível candidata a vice-presidente Marina Silva se reuniram nesta terça-feira (25), na residência do governador, no bairro de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife, para afinar o discurso e discutir ideias para o programa da aliança PSB-Rede. Depois do primeiro encontro regional, no sábado (22), em Porto Alegre, as diretrizes programáticas serão discutidas no Rio de Janeiro, no dia 15 de março.

“O que se vai destacar no dia 15, como se agregar ideias novas, que aspectos podem diferenciar o projeto?” foi o mote do encontro de acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente, Sérgio Xavier (PV), que goza da confiança de Marina e participou da reunião, que não foi divulgada à imprensa e teve início no final da manhã se estendendo até às 17h30.

Segundo Xavier, o encontro foi descontraído e sem resoluções ou decisões. “Estamos consolidando o que já vem sendo feito, trabalhado, estamos em uma etapa que passa do discurso para o planejamento”, disse ele. “Questões de comunicação também foram tratadas, para nivelar as informações”.

Campos havia viajado ao Rio e só se integrou ao grupo à tarde. Coordenadora do programa de educação da Rede Sustentabilidade, Neca Setúbal integrou o grupo, assim como o assessor de comunicação Nilson Oliveira e o articulador da Rede-Sustentabilidade em Pernambuco, Roberto Leandro.

Anunciado nesta segunda-feira (24), como candidato de Campos à sua sucessão, o secretário estadual da Fazenda, Paulo Câmara, foi apresentado a Marina. Ele passou pouco tempo no local.

Marina viaja para Brasília na manhã desta quarta-feira (26).

Fonte: Da AE.

Aliados de Eduardo Campos se dizem cada vez mais convictos de um segundo turno. (Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem)

Aliados de Eduardo Campos se dizem cada vez mais convictos de um segundo turno. (Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem)

Um dos aliados mais próximos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) afirmou há pouco que a pesquisa Datafolha divulgada hoje “aumenta a convicção” de que o presidenciável do PSB irá para o segundo turno. “Acho que estamos no caminho certo e (a pesquisa) aumenta a minha convicção que vamos ter a eleição em dois turnos e que o Eduardo vai para o segundo turno”, resumiu Rollemberg ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

De acordo com o levantamento publicado hoje pelo jornal Folha de S.Paulo, Eduardo Campos aparece com 12% das intenções de voto, versus 11% marcados no final de novembro do ano passado e 15% em outubro. A presidente Dilma Rousseff (PT) tem 47% das intenções de voto e o senador mineiro Aécio Neves, presidenciável do PSDB, chega a 17%. Com esse quadro, Dilma seria reeleita ainda no primeiro turno, caso o pleito fosse hoje.

O senador Rodrigo Rollemberg classificou de “muito positivo” o patamar alcançado por Campos nas pesquisas, pelo fato de ele ser menos conhecido pela população. Os indicadores, previu Rollemberg, ficarão mais favoráveis ao pré-candidato pessebista a partir da confirmação da ex-senadora Marina Silva como sua vice e com a descompatibilização do cargo de governador, momento em que Campos poderá andar mais pelo País e se tornar mais conhecido. “Na hora que fechar a chapa com a Marina, quando se descompatibilizar do governo e quando um número maior de pessoas perceberem que ele é candidato, naturalmente será beneficiado com isso”, disse.

Para ele, a pesquisa deixou claro também que uma “grande parcela” da população quer mudanças no País e quem mais vai se identificar com esse sentimento será a chapa Eduardo Campos-Marina. “Eu percebo isso nitidamente, que há um desejo muito forte de alternância de poder. Acho que o governo não está bem, os indicadores econômicos não estão bons e o perfil de pouco diálogo da presidente não ajuda. Você tem um esgotamento e um desejo de mudança”, afirmou o senador.

Mesmo com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, marcando 14% das intenções de voto num dos cenários testados pela pesquisa, Rollemberg disse acreditar que ele não sairá candidato. “É natural por uma exposição grande, mas não se sustenta. É uma candidatura sem partido sem base social. Acho que temos que analisar o quadro que realmente vai ser o quadro na eleição”, concluiu.

Fonte: Do JC Online e Agência Estado.

Presidenciáveis vêm afinando os discursos. (Foto: Roberto Pereira/PSB)

Presidenciáveis vêm afinando os discursos. (Foto: Roberto Pereira/PSB)

O discurso oposicionista de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) aproximou os eleitores de ambos. A última pesquisa Datafolha, divulgada no último sábado (22), apontou que 53% dos eleitores que dizem votar no governador de Pernambuco optariam pelo senador mineiro em um eventual segundo turno contra Dilma Rousseff.

De acordo com Vera Magalhães, da coluna Painel, em novembro de 2013, essa proporção era de 47%. A migração também aumenta na mão oposta: 48% dos eleitores do tucano escolheriam o pessebista contra Dilma. Antes, eram 41%.

Os eleitores de Campos que escolheriam Dilma num tira-teima contra Aécio eram 37% no fim de 2013, e agora são 29%. Já os apoiadores do tucano que preferem a petista ao pernambucano num novo turno são 27%, contra 33% em novembro.

No levantamento anterior, 42% dos eleitores de Marina Silva escolhiam Dilma no segundo turno contra Aécio. Na pesquisa atual, 34% dos marineiros declaram voto na presidente, e 40% optam pelo mineiro.

Fonte: Por Maurício Júnior, do Blog da Folha.

Ex-ministro levou os filhos Miguel e Fernando Filho para o Municipal. (Foto: Lucas Lima)

Ex-ministro levou os filhos Miguel e Fernando Filho para o Municipal. (Foto: Lucas Lima)

Dono da missão de apresentar o candidato do PSB à sucessão estadual (Paulo Câmara) no Interior do Estado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB) assegurou que cumprirá o papel que lhe foi destacado, não apenas por ter sido escolhido para brigar pela vaga ao Senado, mas por ter um compromisso com a legenda e o governador Eduardo Campos.

“Vamos percorrer o Estado. Ainda precisamos fechar essa questão de agenda, mas é certa que teremos muitos eventos e vamos cumprir cada uma delas, mostrando as qualidades do nosso candidato”,  afirmou ao Blog da Folha.

O governador Eduardo Campos convenceu Fernando Bezerra Coelho a entrar na disputa pela Casa Alta, destacando para o correligionário que as pesquisas encomendadas pelo PSB indicavam que a população gostaria de ver um candidato mais ligado à gestão do que ao universo da política.

Como Paulo Câmara ainda não foi testado nas urnas e a timidez é um traço que se destaca em sua personalidade, o governador, que estará rodando o Brasil em sua campanha presidencial, escalou FBC para dar o chamado molho político à chapa, que também conta com o deputado federal Raul Henry como vice.

Filhos candidatos

Fernando Bezerra Coelho foi ao Baile Municipal do Recife acompanhado pelos dois filhos, Fernando Filho e Miguel Coelho. Ambos serão candidatos no pleito de outubro. O primeiro buscará a reeleição na Câmara Federal e o segundo tentará ingressar na Assembleia Legislativa.

Fonte: Por Gilberto Prazeres, do Blog da Folha.

O governador Eduardo Campos (PSB) anuncia oficialmente, nesta segunda-feira (24), a candidatura do economista Paulo Câmara (PSB), atual secretário da Fazenda, para o governo de Pernambuco pela Frente Popular. Os socialistas também apresentam os nomes do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho como candidato ao Senado e do deputado federal Raul Henry (PMDB) para vice.

A formação da chapa majoritária foi divulgada pelo PSB na última quinta-feira (20), mas será formalizada em evento às 10h desta segunda no Recife Monte Hotel, com a presença também do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e de lideranças dos partidos aliados. A expectativa  é sobre a participação do vice-governador João Lyra Neto (PSB), que ficou insatisfeito com a condução do processo de escolhas dos nomes para a chapa da Frente Popular. 

Durante o fim de semana, Paulo Câmara participou de eventos públicos, como o Baile Municipal e o Olinda Beer. Foram as primeiras aparições públicas do secretário depois que seu nome foi anunciado como pré-candidato.

Câmara é militante socialista desde 1992. Esteve ao lado do governador Eduardo Campos em sua campanha para a Prefeitura do Recife em 1992, quando o hoje aliado Jarbas Vasconcelos (PMDB) foi eleito. De lá para cá, participou de todas as campanhas majoritárias encabeçadas pelo PSB e está no governo de Pernambuco desde 2007.

Câmara filiou-se ao PSB apenas em outubro de 2013, no finalzinho do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para os que desejavam participar do pleito deste ano, um dos primeiros sinais de que acabava de entrar na lista de possíveis candidatos à sucessão de Eduardo.

A distância das bases, dos eleitores e o fato de não circular nos meios empresariais e sociais, fundamental para qualquer político que tenha pretensões eleitorais, é o principal motivo de Paulo Câmara ser hoje um desconhecido. Até porque, apesar das funções estratégicas que assumiu até agora no governo Eduardo, só esteve por um ano numa secretaria-fim: a de Turismo. A sua maior contribuição ao governo veio através de secretarias-meio, como Administração e Fazenda, onde carrega a responsabilidade sobre todas as contas do estado e prova ser alguém da extrema confiança do governador.

Com o lançamento de seu nome para a disputa ao governo do estado deste ano, Paulo Câmara terá que sair de sua zona de conforto e ganhar as ruas.

Fonte: Do DiariodePernambuco.com.br

Espaço serviria como uma local voltado para o lazer de recifenses e turistas no Bairro do Recife. (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

Espaço serviria como uma local voltado para o lazer de recifenses e turistas no Bairro do Recife. (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

Com o objetivo de criar mais um espaço de lazer para os recifenses e turistas que vêm ao Recife, a Prefeitura do Recife pretende transformar a avenida Rio Branco, no Bairro do Recife, em uma alameda com uso prioritário para pedestres e modais não motorizados em caráter permanente. O projeto, que pretende tornar o espaço em uma extensão do Marco Zero, será apresentado pelo prefeito Geraldo Julio, na tarde desta quinta-feira (20).

Na ocasião, Geraldo adiantará, além da formatação do projeto, os próximos passos da PCR para a execução da medida, que inclui uma ação integrada entre a Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento Urbano, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb).

Atualmente, a avenida Rio Branco possui fluxo de carros, pontos de ônibus e vagas da Zona Azul.

Fonte: Do FolhaPE, com informações da assessoria.

O governador Eduardo Campos confirmou que o candidato indicado pelo PSB para concorrer à sua sucessão será conhecido até o carnaval. “Se vocês forem brincar o carnaval, vão encontrar o candidato”, disse após a abertura do Seminário Internacional de Gestão Pública, realizado nesta quarta-feira (19), no Recife. Há uma expectativa muito grande em relação à escolha do governador e há quem aposte que ele anuncie o nome até o fim desta semana.

Eduardo Campos tem conversado com os aliados e testado algumas de suas opções. No ano passado, pelo menos sete nomes figuravam como alternativa no PSB para disputar o cargo: os secretários Danilo Cabral (Cidades), Paulo Câmara (Fazenda), Tadeu Alencar (Casa Civil), Antonio Figueira (Saúde), Milton Coelho (Governo), além do vice-governador João Lyra Neto e do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho. A lista afunilou-se e, nesta semana, Danilo Cabral e Paulo Câmara aparecem como favoritos.

Questionado se o perfil do candidato seria técnico ou político, Eduardo Campos desconversou. “Quando você conhece uma pessoa, não pergunta se ela é técnica ou política”, afirmou.

Para o anúncio, falta o PSB cumprir uma espécie de liturgia. O presidente estadual do partido, Sileno Guedes, recebeu a missão de conversar os presidentes das legendas da base aliada para tratar sobre sucessão. Oficialmente, a discussão se dá em torno de contribuições para o conteúdo programático. No último dia 10, a direção estadual do PSB se reuniu e elaborou um documento com propostas que foi levado ao conhecimento dos demais partidos governistas.

Sileno Guedes já fez algumas rodadas de conversas, mas ainda falta o PSD, o PDT e os integrantes do chamado G6 (PSL, PRP, PRTB, PSDC, PTdoB e PHS). Ele afirmou que vai reunir as sugestões dos partidos e apresentar um documento.

Fonte: Por Tércio Amaral, do Diario de Pernambuco.

Pesquisar
Publicidade





Encontre-nos no Facebook