Get Adobe Flash player

Tecnologia

As prestadoras de internet terão de garantir, a partir deste sábado, 80% da velocidade média contratada pelo consumidor, conforme cronograma estabelecido há dois anos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), segundo informações da Agência Brasil.

Em 2012, a velocidade média entregue deveria ser de 60% do contratado, passando a 70% no ano seguinte, com velocidade instantânea mínima inicialmente estipulada em 20%, porcentual que subiu para 30% e agora deverá ser de 40% pelas regras da Anatel. A velocidade instantânea é apurada no momento de utilização da internet pelo usuário.

Antes da determinação da Anatel, a velocidade entregue aos usuários ficava em torno de 10% da contratada pelos consumidores.

Fonte: Da Agência Estado.

Educação: Sócios da ABB aprendem informática.

Educação: Sócios da ABB aprendem informática.

A Associação Beneficente Betânia (ABB), de Abreu e Lima, vem passando por grandes transformações administrativas e sociais sob a direção da dinâmica presidente Duci. Ela e sua diretoria conseguiram mais um importante benefício para todos os seus associados. A direção da ABB implantou um curso gratuito de informática básica para adultos e idosos.

Segundo a presidente, é uma boa oportunidade para que esses associados tenham acesso ao mundo da informática, de forma que eles possam dominar o manuseio com computadores e aplicarem o conhecimento no seu dia adia. “Estamos trabalhando para proporcionar mais benefícios a todos os nossos associados”, assegurou Duci, acrescentando que outras ações estão sendo preparadas para melhorar o atendimento aos usuários da Associação Beneficente Betânia.

A presidente Duci tem feito um importante trabalho à frente da direção da Associação Beneficente Betânia. Ela tem interagido com todos os associados da instituição de Abreu e Lima.

O mundo dos negócios e das oportunidades
O mundo disponibiliza a transformação das oportunidades voltadas a vários novos e velhos negócios. Tem um ditado que diz que a pessoa tem que está na hora certa, no momento certo, discordo, o meu pensamento traduz outra filosofia, penso que as pessoas deverão ter coragem, disciplina, força de vontade e conhecimento do que vai desenvolver, principalmente quando trata-se de novidades. Eles são momentos de curiosidade do mercado consumidor, mas ao mesmo tempo existe o processo da desconfiança, esse momento é crucial para o empreendedor superar e motivar a aceitação do seu produto ou serviço no mercado.

Quando falamos em oportunidades, o próprio nome já explica o momento das chances que o mercado proporciona ao mundo do empreendedorismo, gerar novas oportunidades é trazer ao mercado novos desafios e, ao mesmo tempo, novas ameaças, é necessário aos gestores estarem atentos às novas possibilidades que necessariamente manterão as atividades em plena ascensão. Sabemos que o mercado consumidor e a própria concorrência são reguladores das atividades comerciais, é importante estabelecer um verdadeiro equilíbrio voltado na comunicação e tecnologia, as organizações necessitam de uma estrutura que acompanhe a desenvoltura do mercado consumidor.

Pesquisa realizada pela Wells Fargo revelou que os pequenos empresários têm a tendência de ser mais otimistas quando trata do crescimento de suas receitas, fluxo de caixa e equipe. O pensamento inicial faz pensar que, juntando um empreendedor otimista com um setor promissor, a chance de alcançar o sucesso é grande. As novas possibilidades fazem o mercado oportunizar algumas áreas que estão em maior evidência. Aqui listamos oito áreas que as pequenas empresas estão se destacando:

• Internet das coisas – Empresas de diversos setores estão tentando projetar ou obter dispositivos conectados para melhorar suas operações, o que abre um grande mercado para pequenos negócios dispostos a oferecer soluções desse tipo. A cisco estima que o setor irá gerar U$ 14.4 trilhões em lucro desde 2013 á 2022.

• Comércio eletrônico customizado – O varejo online é um setor imenso e com empresas já estabelecidas. Para uma pequena empresa entrar nesse segmento, é necessário oferecer produtos ou serviços personalizados. Os pequenos varejistas da internet precisam oferecer conteúdo e produtos customizados, muitas vezes selecionados com a ajuda de dados, que causem experiências únicas aos seus clientes.

• Tecnologia educacional – Para manter crianças e adolescentes interessados no aprendizado cada vez mais os educadores estão incorporando a tecnologia ao ensino. Estudos mostram que o investimento em tecnologia triplicou na área educacional desde 2002 a 2011 chegando a U$ 429 milhões de dólares.

• Desenvolvimento de aplicativos móveis – Com uma grande quantidade de empresas expandindo suas operações para plataforma móveis, os desenvolvedores de aplicativos estão muito demandados. Muitas vezes esses designers e engenheiros não têm um grande nome por trás deles, ao contrário, são empresas de um homem só ou poucos, trabalhando nos contatos. Esse mercado vem crescendo 50% ano desde 2009.

• Tecnologia averable – De pequenos relógios que funcionam como celulares a coleiras que rastreiam a saúde e nutrição de animais de estimação, a tecnologia de vestir vem surgindo em diferentes áreas do consumo. Os baixos custos de produção e acesso fácil aos fabricantes das peças estão atraindo as empresas, a expectativa é que o setor movimente mais de U$ 8 milhões até 2018.

• Desenvolvimento de software para empresas – Com o mercado cada vez mais competitivo, tanto no mundo online quanto no mundo real, as empresas vêm buscando a tecnologia para se diferenciar dos concorrentes. Principalmente os que possam fornecer análises profundas para negócios que buscam novas formas de oferecer seus produtos e assegurar que eles atinjam a maior quantidade possível de consumidores. As receitas desse setor cresceram quase 15% no ano passado.

• Segurança cibernética – Nos últimos anos é algo que vem preocupando muitos varejistas por conta de fraudes com cartões de crédito e débito, por isso as empresas estão investindo pesado em segurança de rede, criando boas oportunidades para as empresas especializadas nesse tipo de proteção.

• Tecnologia verde – Não é algo novo, mas empreendedores estão empolgados com o que vem chamando de soluções de tecnologia verde, inovações no modelo de negócio que buscam acelerar a adoção de energia limpa sem assumir os riscos e os encargos associados a fabricação.

Com esses mercados temos também as franquias que vêm desenvolvendo um crescimento bastante interessante para os novos empreendedores, franquias que custam valores pequenos e com grandes oportunidades de alavancar o pequeno e médio empreendedor ao sucesso na vida empresarial.

Por Jurandir Filho, jurandir.filho.adm@hotmail.com

O novo Windows 9, nova versão do sistema operacional da Microsoft, será gratuito para usuários do Windows 8.

A afirmação veio do presidente da Microsoft na Indonésia, Andreas Diantoro, nesta segunda (29). Ele deu uma entrevista ao site local Detik e confirmou a hipótese levantada por outras fontes do mercado de tecnologia.

Ele disse ainda que a atualização poderá ser feita por download, como já acontece com as plataformas móveis do sistema. Essa estratégia seria uma tentativa da Microsoft de forçar os usuários a migrarem para versões mais modernas de seu sistema. Ainda há a possibilidade do W9 ter um desconto “considerável” para usuários de sistema mais velhos que o Windows 8.

Por causa da reação negativa do Windows 8, muitos usuários resistem a abandonar sistemas como Windows 7, Vista ou mesmo o XP.

O Windows 9 será apresentado ao público no dia 30 de setembro.

Fonte: Por Paulo Floro, do Mundo Bit.

O Sebrae vai proporcionar uma experiência única para donos de startups de todo o Brasil. Em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil), a instituição seleciona empreendedores até esta quarta-feira (30) para participarem de um treinamento para negociar com investidores em um dos principais eventos de tecnologia do mundo que acontece no Vale do Silício, região conhecida como polo mundial de inovações científicas onde estão instaladas um conjunto de empresas de tecnologia.

Trinta representantes de startups em estágio inicial de operação participarão gratuitamente de um treinamento que vai capacitá-los para apresentar seus negócios durante o TechCrunch Disrupt, que será realizado de 8 a 10 de setembro em São Francisco, na Califórnia. Para participar da seleção, o empreendedor deve ter fluência em inglês e uma empresa com um projeto pronto para ser apresentado. Além disso, precisa ter passado por algum tipo de curso do Sebrae e fazer parte de algum dos 16 estados participantes da iniciativa.

Os selecionados passarão por treinamento durante todo o mês de agosto que servirá como preparação para os empreendedores poderem atrair investidores estrangeiros para seus negócios durante o evento. Na véspera do TechCrunch Disrupt, no dia 7 de setembro, eles participarão de um prep pitch presencial no escritório de negócios da Apex Brasil, em São Francisco – pitch é uma apresentação de três a cinco minutos para conquistar possíveis investidores ou clientes.

A inscrição para o prep pitch pode ser feita aqui por meio da Plataforma Arena pelo link até esta quarta-feira, dia 30. A seleção acontecerá na Apex na quinta-feira, dia 31. As empresas serão escolhidas por critérios como inovação, modelo de negócio, aplicabilidade em mercados e equipe.

Além disso, o escritório da Apex Brasil em São Francisco está preparando uma série de eventos paralelos e visitas técnicas a empresas de tecnologia nos dois dias seguintes ao Techcrunch Disrupt.

A parceria entre o Sebrae e a Apex foi firmada no ano passado, quando esse mesmo treinamento foi dado para empreendedores de Santa Catarina, Rio de Janeiro e Alagoas. Este ano, o projeto foi ampliado a empreendedores de 16 estados. “As startups precisam buscar crescimento rápido e, para tal, necessitam estar preparadas para aproveitar as oportunidades e ampliar seus negócios para o mercado internacional”, afirma o gestor do projeto de Startup do Sebrae Nacional, Márcio Brito.

Fonte: Da Agência Sebrae de Notícias – ASN.

Scheneider destacou necessidade constante de mudança e inovação para se manter no mercado de trabalho. (Foto: Douglas Mendes)

Uma das palestras mais motivadoras e inovadoras da Campus Party Recife 2014 aconteceu na tarde deste sábado (26). O doutor em Comunicação e estudioso das Gerações Y e Z Dado Schneider falou sobre marketing digital e novas perspectivas de mercado. A primeira parte da palestra foi toda muda, apenas com uma sequência de músicas e textos apresentados no telão.

Schneider conseguiu atrair a atenção de todos os presentes mesmo sem dar uma palavra durante quase 30 minutos. Seu texto apenas escrito falava da necessidade constante de mudança e inovação para se manter no mercado de trabalho. “O mercado é um grande jogo de poker. Há os amadores, os profissionais e os sem-noção’, dizia uma das telas.

Primeira parte de palestra contou com sequência de músicas e textos apresentados no telão. (Foto: Douglas Mendes)

Já na segunda parte da exposição, ele começou a falar para dar novas lições aos campuseiros. Principalmente sobre mudanças. “Mudar é aceitar o novo. Você não precisa gostar de tudo, mas tem obrigação de conhecer tudo. Isso para não viver a vida de um fitoplâncton, aqueles microorganismos que vivem à deriva no mar”. Ao final, o palestrante foi fortemente aplaudido de pé pela plateia.

Após cinco anos de debates acirrados no país, o Marco Civil da Internet, que entra em vigor em menos de 60 dias, deve ser objeto de regulamentação. Isto é, regras devem ser criadas para detalhar a aplicação de determinados pontos da legislação geral.

Organizações da sociedade civil e especialistas que contribuíram para a elaboração do projeto, por meio de consulta pública, e defenderam que o projeto não fosse alterado nos debates na Câmara, pedem agora que a sociedade seja ouvida, nas próximas etapas que envolvem a Lei 12.965, sancionada, na última quarta-feira (23), pela presidenta Dilma Rousseff.

Essas etapas, sobretudo a regulamentação, devem abordar pontos importantes da lei. Ainda faltam ser definidas as situações nas quais a neutralidade de rede, princípio que garante que todo conteúdo deva ser tratado igualmente na internet, poderá ser dispensada. De acordo com o Artigo 9 do marco, as exceções só ocorrerão em duas ocasiões: “requisitos técnicos indispensáveis à prestação adequada dos serviços e aplicações e priorização de serviços de emergência”.

Integrante do Comitê Gestor da Internet do Brasil, Sérgio Amadeu, destaca a importância desses dispositivos. Ele conta que um dos motivos da disputa, na Câmara dos Deputados, foi exatamente quem seria responsável por normatizar as exceções: se a Presidência da República ou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), cuja independência diante das empresas de telecomunicações é questionada por especialistas, segundo Amadeu.

O texto final estabelece que a regulamentação ficará a cargo da Presidência, que deve ouvir tanto o comitê gestor quanto a Anatel. “Mas nada impede que toda a sociedade seja ouvida, aliás, eu defendo que tudo o que for apresentado para regulamentar o marco civil seja colocado em consulta pública”, diz o integrante do comitê e também professor da Universidade Federal do ABC (UFABC).

O coordenador do Intervozes, Pedro Ekman, também defende que “o aspecto mais importante da regulamentação do marco civil talvez seja a necessária consulta ao comitê para regulamentação do Artigo 9. Isso aponta para um formato que considera a participação social na formulação de políticas públicas e ajudará a garantir que de fato a neutralidade de rede se estabeleça impedindo a discriminação de conteúdos e o apartheid social na rede”.

Sobre os pontos em discussão, Sérgio Amadeu explica que a qualidade de banda larga ofertada pelas empresas no Brasil é baixa. “Nós temos situações em que pagamos 100% e recebemos só 10% da velocidade contratada”.

Para ele, as teles devem investir em infraestrutura para que possam ofertar a quantia de dados consumida pelos usuários da rede, em todo o país. “A quebra da neutralidade por motivos técnicos pode beneficiar o desinvestimento na infraestrutura de telecomunicações que a sociedade precisa”, alerta.

O polêmico Artigo 15, alvo de uma campanha organizada pela sociedade civil, que queria que a presidenta Dilma o vetasse, também carece de regulamentação. Ele trata da guarda de registros e acesso a aplicações na internet. Um das críticas é que abre a possibilidade para o armazenamento de informações dos usuários da rede por até seis meses.

O texto determina que, por decisão e aval judicial, autoridade policial ou administrativa poderão requerer informações pessoais. Pedro Ekman considera que o dispositivo abre brecha para a “vigilância em massa”, por isso espera que, na regulamentação, a prática seja restrita.

Para o pesquisador e gestor do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getulio Vargas, Luiz Fernando Moncau, a regulamentação deve especificar como será operacionalizada tanto a guarda quanto a disponibilização dos registros. “A regulamentação pode ser um processo importante para estabelecer e criar formas de controle das atividades do Estado para que não haja abuso no acesso aos dados”. Na avaliação de Moncau, a nova regra pode estabelecer quais autoridades obterão informações e quais prazos existirão para solicitá-las e mantê-las.

Moncau também aponta a necessidade da criação de mecanismos de controle social sobre o uso dos registros por parte das autoridades policiais e administrativas. “Na Europa, por exemplo, foi aprovada uma regra de guarda de dados e também foi estabelecido que seria publicado um relatório periódico que deve mostrar quais dados foram solicitados, o que foi feito com eles e qual o percentual de dados serviu para resolver casos judiciais”.

Outro ponto que deve ser regulamentado é o que obriga os provedores de conexão a dar informações sobre coleta, guarda e armazenamento dos dados, para averiguar se as ações das empresas seguem a legislação nacional, bem como sobre a garantia da privacidade e do sigilo das comunicações. Também será objeto de normas o direito dos usuários a ter acessibilidade garantida à internet.

Em um bate-papo em rede social durante a semana, a presidenta Dilma Rousseff disse que a sociedade irá participar da regulamentação do marco e que o armazenamento de dados não põe em risco a liberdade individual nem a privacidade.

Fonte: Da Agência Brasil (ABr).

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lança nesta quinta-feira (24) um novo aplicativo que ajuda a identificar pessoas procuradas pela polícia. O dispositivo pode ser baixado gratuitamente em qualquer telefone celular e permite a consulta a um cadastro de 352 mil mandados de prisão.

Qualquer pessoa pode fazer uma consulta. Para checar se uma pessoa tem condenação na Justiça ou ordem judicial de prisão contra ela, basta digitar seus dados, como nome completo ou número de algum documento de identificação. Quando um registro de mandado de prisão é localizado, aparecem também outros dados disponibilizados por órgãos do Poder Judiciário.

Segundo a assessoria do Ministério da Justiça, a função de buscas por mandados de prisão será adicionada ao aplicativo Sinesp Cidadão (disponível para iOS e Android), que permite ao usuário consultar informações de veículos registrados na base nacional do cadastro do Denatran.

Fonte: Da Agência Brasil (ABr).

A toque de caixa, o plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (22), o Marco Civil da Internet e o projeto segue agora para sanção presidencial. Mesmo com o esforço da oposição para ganhar tempo e discutir ajustes no projeto aprovado na Câmara dos Deputados há menos de um mês, a base aliada se impôs à minoria. Com a aprovação, a presidente Dilma Rousseff terá a chance de apresentar o marco regulatório no Net Mundial, evento internacional que trata da governança da internet.

2b7633d781d81db3336ad2e725887e94.jpg

Depois de aprovado no plenário do Senado, Marco Civil vai agora para sanção presidencial. (Foto: Agência Senado )

A votação foi marcada até por bate-boca em plenário entre o petista Lindbergh Farias (RJ) e o presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG). No calor da discussão sobre a inversão de pauta, o senador Mário Couto (PSDB-PA) saiu em defesa do colega tucano e teve de ser apartado pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

A oposição argumentou que era preciso aprimorar o projeto e que aprová-lo de maneira açodada serviria apenas para que o Palácio do Planalto tivesse algo a apresentar no evento internacional de amanhã, em São Paulo. “Temos de votar hoje para a presidente Dilma apresentar um troféu?”, questionou o líder do DEM, Agripino Maia (RN).

Os oposicionistas chegaram a pedir um mês para analisar o projeto, que hoje passou pelo crivo das Comissões de Constituição e Justiça e Ciência e Tecnologia. Os senadores alegaram que a Câmara teve três anos para discutir a proposta e que o Senado estava sendo “atropelado”. “O Senado não pode se consolidar como chancelaria da Câmara e do Executivo”, definiu o senador tucano Álvaro Dias (PR).

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, disse que a oposição apoia o projeto aprovado na Câmara, mas defendeu o direito dos senadores de aprofundar a proposta. “Mais uma vez a maioria desta Casa se curva ao Palácio do Planalto”, afirmou.

Sob pressão do Planalto, os aliados sustentaram que o projeto é uma demanda da sociedade e que a Câmara já produziu um projeto equilibrado. Não houve alteração no texto aprovado em 25 de março pelos deputados. Pouco antes do início da sessão, manifestantes da rede Avaaz apresentaram uma petição com 350 mil assinaturas virtuais de apoio ao Marco Civil.

Fonte: Agência Estado.

A tarifa para ligações entre telefones fixos e móveis teve uma redução de cerca de 13% em março deste ano. (Foto: Reprodução)

A tarifa para ligações entre telefones fixos e móveis teve uma redução de cerca de 13% em março deste ano. (Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou nesta quinta-feira (10) o reajuste para as concessionárias de telefonia fixa nas modalidades local e longa distância.

Para as empresas Sercomtel, Telefôncia e Embratel e Oi, o aumento será de 0,65% e, para a CTBC, de 0,95%. O reajuste valerá a partir da próxima semana.

O relator da matéria, conselheiro Igor Vilas Boas de Freitas, lembrou que a tarifa para ligações entre telefones fixos e móveis teve uma redução de cerca de 13% em março deste ano.

Fonte: Da Agência Brasil (ABr).

Publicidade
Encontre-nos no Facebook