Get Adobe Flash player

Compromisso: O vereador disse que está cumprindo suas prerrogativas de legislador.

“O prefeito é insensível, vaidoso e omisso. E a maioria do Legislativo Municipal não pode se ajoelhar diante do Executivo”. Essa declaração foi proferida pelo líder da oposição na Câmara, vereador Paulo Uchôa (PDT), na última sessão ordinária do dia 12 dezembro. Na ocasião, seriam votados os dois vetos do Executivo Municipal, mas a sessão foi bastante tumultuada e a matéria foi tirada de pauta por causa da pressão do vereador Paulo Uchôa.

Os dois projetos de lei, aprovados por unanimidade, são de autoria do vereador Paulo Uchôa. O primeiro é o que determina que as creches de Cruz de Rebouças e Igarassu funcionem nos meses de férias, prolongando o atendimento educacional às crianças matriculadas. O vereador justifica que as mães que trabalham não têm com quem deixar seus filhos. Neste período, as crianças receberiam a alimentação. “O custo é pequeno, mas o benefício seria grande para a sociedade. “O prefeito preferiu vetar o nosso projeto de Lei por questão pessoal e vaidade, por que foi Paulo Uchôa o autor do projeto. Ele diz que não tem dinheiro para custear, mas tem milhões para gastar em festas. Isso é uma vergonha desse desgoverno”, disparou Paulo Uchôa.

Uma outra matéria que causou polêmica e muita discussão, na Câmara, foi o veto da isenção do Alvará para os taxistas. O projeto de lei, aprovado, por unanimidade, foi também de autoria de Paulo Uchôa. Segundo ele, a isenção da taxa de Alvará seria para todos os taxistas cadastrados na Prefeitura de Igarassu, como uma forma de incentivar o trabalho da categoria, como também diminuir o prejuízo contra os outros concorrentes, como os carros de placas cinza e os motoristas do Uber. “Isso é uma picuinha do prefeito e perseguição à minha pessoa. O governo diz que não pode isentar da taxa do Alvará, que representa cerca de 37 mil reais por ano. A prefeitura arrecadou este cerca 240 milhões de reais, como ele diz que não tem dinheiro. Isso é uma vergonha”, afirmou Paulo Uchôa.

“O prefeito determinou a sua base que votasse a favor do veto, que me deixa indignado. A Câmara não deve se acovardar e nem se ajoelhar diante do prefeito autoritário e vaidoso. As crianças das creches não podem ser prejudicadas por um ato insensato do senhor Mário Ricardo, que coloca as questões pessoas e políticas acima do bem-estar do povo de Igarassu”, disparou o líder da oposição.

Paulo Uchôa afirmou que os taxistas foram prejudicados pelo veto do prefeito, que continuarão a pagar a maior taxa de Alvará do Litoral Norte, segundo informou o vereador. “Espero que a justiça seja feita e o veto seja revogado pelos vereadores da base do prefeito. “O projeto de lei foi aprovado pela Câmara, por unanimidade, e o prefeito autoritário nega-se a cumprir o que foi aprovada por esta Casa, que é a isenção da taxa de Alvará para categoria”, finalizou o vereador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Encontre-nos no Facebook