Get Adobe Flash player

Jogador brasileiro é vítima de “Racismo” no Uruguai
Após a partida entre Brasil e Uruguai, válida pelo Sul-Americano Sub-20, em Montevidéu, no dia 26 de janeiro, que terminou empatada em 0 a 0, o meia Marcos Guilherme acusou o camisa 7, Facundo Castro, da Celeste Olímpica, de racismo. “O cara me chamou cinco vezes de macaco. Isso não pode acontecer”, desabafou o atleta brasileiro perante os jornalistas. A partida, valendo pela primeira rodada do hexagonal, ficou no passado, mas a polêmica promete se estender. Em entrevista coletiva, o técnico Alexandre Gallo repudiou a atitude do uruguaio e afirmou que a CBF deverá entrar na justiça para que o atleta seja punido. “Todos somos de uma raça só. Nossos jogadores ficaram muito chocados. É algo que nós não podemos admitir”, protestou.

A indignação de Gallo e dos atletas da Seleção é compreensível. É necessário que o caso seja levado aos tribunais de justiça desportiva como prova de que as pessoas verdadeiramente racionais repudiam esse tipo de atitude arrogante e mesquinha. No entanto, pelo visto em episódios recentes, tanto no Brasil quanto no exterior, não se pode esperar muito rigor na punição, se é que vai haver alguma. Talvez, a postura de Facundo Castro lhe renda uma leve suspensão ou uma multa leve. Nada mais! No caso específico do Brasil, por exemplo, a grande maioria daquilo que se denuncia como crimes de racismo por quem é ofendido, quando chegam à justiça acabam se configurando em simples crimes de injúria racista. Aliás, já abordamos este assunto nesta coluna por mais de uma vez. Vimos que os vários episódios registrados pela mídia, inclusive aqui no Brasil, acabam não dando em nada. Geram certa celeuma inicialmente, mas, logo, arrefecem. Os agressores raramente são punidos à altura. Suas ações geralmente são tratadas como crimes de baixo teor ofensivo e, por isso, recebem punições leves comutadas pela própria justiça em pagamento de multas, doações de cestas básicas a instituições de caridade ou, na mais otimista das hipóteses, em prestação de serviços. Isso acaba estimulando os infratores a reincidir no crime. No Uruguai, por exemplo, a coisa parece ser ainda pior: a mídia local sequer deu ênfase às denúncias.

SportComeça segunda fase do Pernambucano 2015
O Campeonato Pernambucano 2015 já está rolando desde o início de dezembro, mas, para os três grandes clubes da capital, a competição começa, de fato, neste final de semana. No sábado, os torcedores de Sport e Santa Cruz terão a oportunidade de ver seus times em ação, disputando o primeiro clássico do ano. O Sport, aparentemente, conta com uma importante vantagem: o entrosamento. É que a equipe rubro-negra manteve praticamente o mesmo elenco de 2014, inclusive o seu treinador, Eduardo Baptista, e o meia-atacante Diego Souza, sua principal contratação para a atual temporada. O Santa Cruz, por sua vez, vem com um plantel bastante modificado em relação ao ano passado. Jogadores importantes deixaram o clube, como Léo Gamalho, Wescley e Flávio Caça-Rato, entre outros. Há muitas caras novas na equipe tricolor, a começar pelo seu treinador, Ricardinho.

Tendo em vista as mudanças ocorridas no Santa Cruz, o Leão da Ilha conta com certo favoritismo. No entanto, se essa vantagem vai se traduzir em resultados concretos, só o futuro dirá. Como diz o ditado: “O jogo é pra ser jogado”. Portanto, é prematuro fazer prognósticos sobre qual deles vai se sobressair na competição. Será a vitória da organização ou da superação? É esperar para ver!

Janiel-LuizRecuperação
O presidente da Liga Desportiva e Cultural de Abreu e Lima, Janiel Luiz(foto), vem se recuperando bem do acidente de carro que sofreu no final do ano passado. Contando com a ajuda de parentes e amigos, ele tem encontrado forças para superar o trauma causado pelo triste episódio que quase lhe custou a vida.

Aos poucos, ele começa a retomar sua rotina, que promete ser bastante agitada nos próximos meses, porque este ano ele tem um enorme desafio pela frente: Viabilizar a realização do Campeonato Abreulimense 2015. Será um grande teste para a sua gestão. Mas também é uma excelente oportunidade para calar os críticos que o consideram inexperiente para o cargo.

L’imperatore
O atacante Adriano se prepara para voltar aos gramados. A notícia foi divulgada pelo site Reuters Brasil, no dia 26 de dezembro passado. Segundo uma reportagem assinada pelo jornalista Gregory Blachier, o atleta de 32 (faz 33 no próximo dia 17 de fevereiro) teria feito um acordo com o Le Havre, equipe da Segunda Divisão do futebol francês, para disputar a Ligue 2, em 2015. Adriano está sem jogar oficialmente há vários meses. Seu último clube foi o Atlético-PA, equipe pela qual ele pouco jogou. O mau desempenho do jogador dentro de campo, de acordo com a matéria, seria um reflexo de problemas relacionados com excesso de peso e suposto abuso de álcool.

Polêmicas à parte, a verdade é que, se fora de campo Adriano tem sido um tanto “disfuncional”. Dentro das quatro linhas, no entanto, ele foi um jogador brilhante. No auge da carreira, ele saiu do Flamengo, clube que o revelou, e foi para a Itália onde fez sucesso e fortuna e recebeu o apelido de “L’Imperatore” (O Imperador), em homenagem ao imperador romano Adriano. Além disso, ele foi titular da Seleção Brasileira, pela qual disputou 52 partidas, marcando 29 gols. O atacante também foi bastante decisivo na Copa América de 2004, e na Copa das Confederações de 2005.

Por Josué Batista, josuebsouza@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Encontre-nos no Facebook