Brasil Destaque Economia Meio Ambiente Pernambuco Política

Seca mostrou insuficiência da infraestrutura, diz Eduardo Campos

O governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) disse no final da tarde deste domingo (17), ao abrir a 72ª Exposição Nordestina de Animais, no Recife, que os três duros anos seguidos de estiagem trouxeram a lição de que ainda é insuficiente a infraestrutura do semiárido nordestino, onde vivem cerca de 20 milhões de pessoas. “Nós precisamos de infraestrutura e de todas as tecnologias que nos permitam conviver com pouca água”, afirmou ele, na abertura do evento, quando destacou, também, a necessidade da retomada, “em tempo rápido”, da ferrovia Transnordestina, que está paralisada e que considerou “obra estratégica para o Nordeste”. Depois, em entrevista, Campos disse que não vai abordar o tema da Transnordestina na visita da presidente Dilma Rousseff, nesta semana, ao Estado. “Ela sabe desta nossa preocupação, que não é de hoje, ela sabe da importância dessa obra”, observou, ao lembrar que houve “percalços” para que se cumprisse o prazo da obra. “Agora não é (momento de) criar polêmica, é retomar a obra que é o que nos interessa e o que a gente puder fazer para ajudar, vamos ajudar”. Ao chegar à exposição de animais, no bairro do Cordeiro, o governador passou cerca de uma hora para percorrer um máximo de cem metros. Assediado, tirou fotos com crianças no colo, apertou mãos, abraçou muita gente. “Ele é cabra homem”, comentou o artesão Ivaldo Jaime da Silva, 43 anos, depois de tirar uma foto ao seu lado. “Ele sempre esteve interessado no futuro do Brasil, vai ter meu voto”. COBRAS – Em um estande da secretaria estadual de Agricultura, Campos evitou uma área onde havia cobras expostas, ao lado de outros animais. Disse não se sentir à vontade com o bicho e comentou já estar “enfrentando muitas cobras”. Indagado sobre o comentário, ouvido por algumas pessoas que estavam muito próximas dele, desconversou. Como maior autoridade presente à solenidade de abertura, coube ao governador hastear a bandeira do Brasil – uma simbologia do seu projeto político que foi amplamente registrada pelas câmeras dos fotógrafos.

Fonte: Agência Estado.
]]>

SEJA UM ASSINANTE
Como assinante, sempre que houver uma nova postagem, você será o primeiro a receber o conteúdo, com exclusividade.