Destaque Mundo Política

Evo Morales renuncia: não aguentou a pressão popular

Por Jailton Lima –

A renúncia do Evo Morales, presidente da Bolívia, após ter governado o país por treze anos, ocorreu na manhã de domingo (10), por meio de um anúncio à nação. 

O motivo foi a revolta popular por supostas fraudes na eleições presidenciais. Embora tenha sugerido novas eleições (sem ter definido uma data), mas a tensão continuou e sem achar uma saída para a crise, Morales  renunciou ao cargo.

Renúncia de Evo Morales foi a saída pacificadora para a crise politica
Aconselhado pelo alto escalão das Forças Armadas, o presidente fez um pronunciamento à nação boliviana, que estava acompanhado do seu vice-presidente, Álvaro García Linera, minutos depois de as Forças Armadas pedirem que ele abrisse mão de seu mandato para permitir a pacificação e manutenção da estabilidade do país. 

A renúncia de Evo Morales foi provocada pela crise política – Foto: Reuters BBCO presidente entregou o cargo afirmando: “a escalada de conflitos que o país atravessa”, em nome da “vida e da segurança da população” e para garantir o “império da condição política do Estado, de acordo com Artigo 20 da Lei Orgânica das Forças Armadas e após análise da situação interna de conflito”.

Por sua vez, García Linera, que também renunciou, disse que também deixa seu cargo. “O golpe foi consumado”, afirmou.

Veja que Bolsonaro falou sobre a renúncia de Evo Morales
O presidente Jair Bolsonaro se manifestou pelas redes socais comentando sobre as fraudes nas eleições na Bolívia que culminaram na renúncia de Evo Morales.

“Denúncias de fraudes nas eleições culminaram na renúncia do Presidente Evo Morales. A lição que fica para nós é a necessidade, em nome da democracia e transparência, contagem de votos que possam ser auditados. O VOTO IMPRESSO é sinal de clareza para o Brasil!”.

Políticos da esquerda falam em golpe na renúncia de Morales
A renúncia do cargo do presidente Evo Morales, para os políticos da esquerda do Brasil, foi arquitetada pelas Forças Armadas e a direita conservadora.

Políticos brasileiros de esquerda usaram as redes sociais para denunciar a realização de um golpe de Estado na Bolívia
Para os parlamentares, uma articulação das Forças Armadas com políticos de direita levou Evo Morales a renunciar. 

Foto: Reuters / BBC News Brasil

Receba conteúdo exclusivo, sendo um assinante.

[mc4wp_form id=”8843″]

SEJA UM ASSINANTE
Como assinante, sempre que houver uma nova postagem, você será o primeiro a receber o conteúdo, com exclusividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.