Brasil Editorial Saúde

A vacina que salva vidas…

Por Jailton Lima –

Começou a distribuição das vacinas, ainda que com atraso, mas começou…Isso é o que vale para a resgatar a esperança e a saúde de milhares de brasileiros, que foram contaminados pelo Covid-19 e aguardam ansiosos o momento de serem vacinados.

Apesar do dilema da vinda das vacinas da Índia e dos insumos (matéria-prima para a fabricação dos imunizantes) que vêm da China, é evidente o desejo de unir forças para que esses materiais cheguem o mais rápido possível. É um avanço ainda que tímido.

A briga pelo protagonismo de quem trouxe primeiro a vacina entre o Governo de São Paulo e o Governo Federal tem sido um obstáculo para a efetiva distribuição dos imunizantes. Essa queda de braço entre Dória e Bolsonaro, no primeiro momento atrapalhou, mas parece que eles entenderam o objetivo principal, que é a efetiva vacinação massiva da população.

Enquanto os amazonenses, que contraíram o vírus da morte, estão morrendo por falta de oxigênio, as vacinas que foram enviadas são insuficientes para atender aos pacientes. Algo tem que ser feito com urgência para impedir a mortandade.

Portanto, não dá para maquiar essa dura realidade do povo brasileiro: só a aplicação massiva da vacina é que pode garantir a preservação da vida das pessoas. Butantã e o Fio Cruz têm toda infraestrutura para produzir mais de 1.500.000 de doses por dia. E, assim, com os insumos necessários, podemos ter as vacinas para imunizar todos os grupos de pessoas.

SEJA UM ASSINANTE
Como assinante, sempre que houver uma nova postagem, você será o primeiro a receber o conteúdo, com exclusividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.