Cidade em Ação Destaque Pernambuco Recife Transporte

Pontes do Recife poderão ser suspensas para permitir passagem de barcos

As pontes Duarte Coelho, Boa Vista e Seis de Março (Ponte Velha) terão sua altura ampliada caso seja aprovada a proposta de expansão do projeto de navegabilidade do Rio Capibaribe. A suspensão das três pontes será necessária para viabilizar a passagem de embarcações e possibilitar a criação de novas estações de embarque e desembarque que ligarão o Bairro do Recife a Boa Viagem, através da Rota Sul, que ainda depende da liberação de verbas para se concretizar – a implantação das rotas Oeste e Norte já está em andamento e não requer modificação na altura de pontes. O projeto da nova rota está orçado em R$ 202 milhões, dos quais R$ 30 milhões seriam usados nas obras das pontes. “A expectativa é de que as verbas sejam liberadas ainda em dezembro, durante visita da presidente Dilma Rousseff a Pernambuco”, afirmou o secretário das Cidades de Pernambuco, Danilo Cabral. Como ainda será elaborado um projeto executivo, não é possível dizer, neste momento, quantos metros de altura as pontes ganhariam após a operação. A Rota Sul, com 8 km de extensão, teria inicialmente duas estações (Bairro do Recife e Boa Viagem), com possibilidade de duplicação.  A mudança na altura de cada ponte, que custaria R$ 10 milhões, seria feita por por meio de uma técnica chamada macaqueamento, na qual macacos hidráulicos são instalados entre os pilares e a super-estrutura da ponte (parte trafegável) para alteração dos elementos construtivos. “Os macacos aplicam uma força sobre a ponte. Essa é uma operação complexa, que requer estudos do processo construtivo do equipamento e que faz necessária a interdição”, explicou o professor de engenharia civil da Unicap, Romilde Almeida. Segundo ele, os pilares de pontes modernas já são projetados com dispositivos que possibilitam a suspensão. Apesar de complexa, a intervenção não muda as características dos equipamentos. “Acreditamos que será importante para o Recife a integração do Centro ao sistema de navegabilidade. Levamos a proposta para o secretário-executivo de mobilidade e o coordenador do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e eles se mostraram receptivos”, afirmou o secretário Danilo Cabral, que garantiu a contratação imediata das empresas para elaboração do projeto-executivo de elevação das três pontes, caso o recurso federal seja liberado no próximo mês. Duas rotas O atual projeto de navegabilidade em execução tem custo estimado em R$ 293,6 milhões e prevê sete estações de embarque e desembarque, sendo cinco no trecho Oeste e duas no trecho Norte. A previsão de conclusão é junho de 2014.

Fonte: Do Diario de Pernambuco.

]]>

SEJA UM ASSINANTE
Como assinante, sempre que houver uma nova postagem, você será o primeiro a receber o conteúdo, com exclusividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.